Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

“Não vou esperar f*der alguém da minha família”: vídeo mostra pressões de Bolsonaro a Moro

Presidente brasileiro, com receio de que a sua família estivesse a ser perseguida pela Polícia Federal, terá exigido que superintendente fosse substituído.
Mariana Branco/SÁBADO 14 de Maio de 2020 às 10:35
Bolsonaro e Sérgio Moro
Bolsonaro e Sérgio Moro FOTO: Direitos Reservados
Numa altura em que o presidente do Brasil é suspeito de tentar interferir na Polícia Federal, uma gravação de uma reunião entre ministros em abril mostra alegadamente Jair Bolsonaro a levantar preocupações com investigações policiais em curso no Rio de Janeiro que visam familiares. No mesmo vídeo, exibido na terça-feira a um grupo de responsáveis envolvidos nas investigações, o presidente brasileiro ameaça demitir responsáveis da polícia e o então ministro da Justiça, Sérgio Moro.

"Não vou esperar foder alguém da minha família. Troco todo mundo da segurança. Troco o chefe, troco o ministro", disse Bolsonaro durante a reunião, segundo fontes ouvidas pela Globo

De acordo com várias fontes que viram a gravação, o presidente brasileiro estava com receio de que a sua família estivesse a ser perseguida pela polícia do Rio de Janeiro. Assim, exigiu a Moro que substituísse o superintendente da Polícia Federal. Caso não o fizesse, Bolsonaro garantiu que
 trocaria o então diretor-geral, Maurício Valeixo, aliado de Sérgio Moro, e o próprio ministro.

Aos jornalistas, esta terça-feira, o presidente brasileiro negou as versões sobre as suas declarações naquela reunião. "Não existem as palavras superintendente ou Polícia Federal". De acordo com as fontes que viram a gravação, Bolsonaro refere-se à Polícia Federal do Rio de Janeiro como "segurança do Rio".



No Twitter, Bolsonaro disse não se importar de revelar "qualquer parte do vídeo que seja pertinente ao inquérito".

A 2 de maio, Moro depôs por mais de oito horas, tendo dito que Jair Bolsonaro lhe pediu a troca do chefe da Polícia Federal carioca. O ex-ministro da Justiça afirmou ter recebido, através do WhatsApp, uma mensagem de Bolsonaro: "Moro você tem 27 superintendências, eu quero apenas uma, a do Rio de Janeiro".

Ver comentários