Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Pai faz furor na Internet como modelo dos tops de croché feitos pela filha

Negócio da jovem cresceu do dia para a noite quando o homem começou a ‘desfilar’ com as criações nas redes sociais.
Correio da Manhã 3 de Agosto de 2022 às 18:16
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha
Jeff é modelo das criações em croché feitas pela filha

Emily Beaver, de 28 anos, faz atualmente sucesso depois de ter apostado na criação de tops e camisolas em croché e pode agradecer ao pai pelo crescimento do negócio: é que o pai desta norte-americana, Jeff Beaver, faz tanto ou mais furor do que as criações da filha ao ser o modelo que surge com elas vestido no site onde se vendem as roupas criadas pela jovem.

Sem preconceitos ou pudores, Jeff surge em várias fotografias e vídeo a ‘desfilar’ com os tops de croché muito coloridos desenhados e feitos por Emily. Depressa se tornou num fenómeno nas redes sociais e catapultou o negócio da filha para o sucesso.

Emily, natural do estado norte-americano do Arkansas, começou a fazer croché em 2015 mas o sucesso da sua marca própria, a LoveBeav, só chegou no verão de 2021, quando a jovem recrutou os pais para serem os modelos dos tops e camisolas que faz.

A mãe foi a primeira e, depois de receber feedback muito positivo de clientes e seguidores, Emily decidiu desafiar o pai a fazer o mesmo. Jeff aceitou imediatamente. No Integram ou no TikTok é possível ver o homem sorridente, a dançar e a exibir as criações da filha.

"O meu pai nunca teve medo de ‘fazer figura’, especialmente quando se diverte, por isso nem sequer hesitou. O mais importante para mim é que os meus pais passem tempo de qualidade comigo, a rir e a gostarem do que estão a fazer", conta a jovem que conta com quase 30 mil seguidores nas redes sociais.

"Não queremos saber do que possam dizer ou se as pessoas acham que é tonto", garante a Emily que, desde que começou a usar os pais como modelos e nos conteúdos que publica nas redes sociais, viu o negócio crescer exponencialmente e já cumpriu o seu sonho: garantir que ganha o suficiente para poder dedicar-se inteiramente ao croché e à criação de conteúdos com os pais.

"Antes vendia muito pouco, mas agora todo o meu stock esgota, mês após mês. Já faço parcerias com algumas marcas e tudo. Todos nós, eu e os meus pais, sempre fomos muito criativos, por isso fico muito feliz que tenhamos seguido este caminho os três", garante a jovem à ABC.

Ver comentários