Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Quem é Paschal Donohoe, o 'Ronaldo das Finanças' da Irlanda que vai substituir Mário Centeno na presidência do Eurogrupo

Ministro das Finanças irlandês reconhecido por ter recolocado em ordem as finanças públicas do país.
Lusa 9 de Julho de 2020 às 20:32
Paschal Donohoe
Paschal Donohoe assume segunda-feira a presidência do Eurogrupo
Paschal Donohoe
Paschal Donohoe assume segunda-feira a presidência do Eurogrupo
Paschal Donohoe
Paschal Donohoe assume segunda-feira a presidência do Eurogrupo
Paschal Donohoe, 45 anos, eleito esta quinta-feira para a presidência do Eurogrupo, é conhecido por ter recolocado em ordem as finanças públicas da Irlanda e de ser pouco entusiasta com a ideia de taxar os "gigantes" digitais norte-americanos.

Oriundo do Fine Gael (Partido Popular Europeu), de centro-direita, Donohoe é ministro das Finanças irlandês desde 2017. Tal como Mário Centeno em Portugal, foi o grande protagonista do primeiro excedente orçamental do país desde a crise financeira de 2008, atingindo o país com particular dureza com uma longa recessão.

Com 'tiques', então, de "Ronaldo das Finanças" da Irlanda, Donohoe liderará nos próximos dois anos e meio o Eurogrupo, em pleno esforço de recuperação da economia europeia.

A sua particularidade está na oposição a uma medida defendida por muitos para aumentar os recursos financeiros da Europa: um imposto digital sobre os "gigantes" da internet, e isto porque a Irlanda é o "refúgio" europeu de muitas multinacionais tecnológicas dos Estados Unidos.

Dos três candidatos à sucessão de Centeno, Donohoe é quem tem menos experiência de Bruxelas - a espanhola Nadia Calviño trabalhou 12 anos em postos-chave na Comissão Europeia antes de ser convidada para ministra, e o luxemburguês Pierre Gramegna leva já sete anos no Eurogrupo -, mas o apoio do PPE, a maior família política europeia, revelou-se decisivo para contrariar o favoritismo da candidata socialista, que tinha o apoio declarado de Alemanha e França, além de Portugal.

Antes de assumir a pasta das Finanças, em junho de 2017, Donohoe, classificado como "um gestor prudente", foi ministro para os Assuntos Europeus, dos Transportes e Turismo, e ainda da Despesa Pública e Reformas.

"Estou profundamente honrado por ter sido eleito o novo presidente do Eurogrupo. Estou desejoso de trabalhar com todos os meus colegas do Eurogrupo nos anos que se seguem, para assegurar uma recuperação justa e inclusiva para todos, enfrentando os desafios pela frente com determinação", escreveu na sua conta oficial na rede social Twitter após a eleição.

Num novo ciclo político, resultante das eleições europeias do ano passado, em que, pela primeira vez, as presidências da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu foram assumidas por mulheres - Ursula von der Leyen e Christine Lagarde, respetivamente -, Donohoe impediu que também o Eurogrupo tivesse a sua primeira liderança feminina, ao derrotar Nadia Calviño na segunda volta da eleição.

Donohoe tomará oficialmente posse na segunda-feira, para um mandato de dois anos e meio, tornando-se o quarto presidente do fórum de ministros da zona euro, depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker, do holandês Jeroen Dijsselbloem e de Mário Centeno, que abdicou de concorrer a um segundo mandato ao abandonar o cargo de ministro das Finanças.

Nadia Calviño Paschal Donohoe Eurogrupo Irlanda Mário Centeno Portugal política
Ver comentários