Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Passageiras de voo da Qatar Airways forçadas a fazer exames ginecológicos após descoberta de recém-nascido abandonado

Australianas foram retiradas do avião. Uma testemunha contou ter visto várias mulheres jovens a chorar ao regressar a bordo.
Ricardo Ramos 27 de Outubro de 2020 às 09:02
Mulheres foram submetidas a exames em ambulâncias estacionadas na pista
Mulheres foram submetidas a exames em ambulâncias estacionadas na pista FOTO: Karim Jaafar/Getty images
Várias passageiras de um voo da Qatar Airways entre Doha e Sydney, na Austrália, foram obrigadas a sair do avião antes da partida e a submeterem-se a “exames médicos invasivos” após a descoberta de um recém-nascido abandonado no aeroporto.

Pelo menos 13 passageiras de nacionalidade australiana foram levadas para fora do avião e obrigadas a fazer os exames, que decorreram no interior de três ambulâncias estacionadas numa parte resguardada da pista. “Eu estava aterrorizada, não nos explicaram o que estava a acontecer. Nem quero imaginar o que as pobres raparigas passaram”, relatou uma passageira que foi retirada do avião mas não fez os exames porque tinha mais de 60 anos. Uma testemunha contou ter visto várias mulheres jovens a chorar ao regressar a bordo.

O governo australiano apresentou um protesto formal às autoridades do emirado e está a prestar apoio psicológico e jurídico às passageiras afetadas. A polícia abriu uma investigação.

Em comunicado, os responsáveis do aeroporto dizem ter seguido o conselho dos médicos, “que estavam preocupados com o bem estar da mulher que tinha acabado de dar à luz”.

Não se sabe quantos voos e quantas passageiras foram afetados. O bebé abandonado está bem e encontra-se ao cuidado dos serviços sociais. A mãe não foi encontrada.
Qatar Airways Doha Austrália Sydney questões sociais economia negócios e finanças transportes aviação
Ver comentários