Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Piloto herói aterrou avião no México evitando explosão

Passageiros elogiam sangue-frio Carlos Meyran, que fez a aterragem de emergência que salvou a vida a todos os ocupantes.
Francisco J. Gonçalves 3 de Agosto de 2018 às 01:30
Piloto herói salvou todos os passageiros de avião que se despenhou no México
Piloto herói salvou todos os passageiros de avião que se despenhou no México
Piloto herói salvou todos os passageiros de avião que se despenhou no México
Piloto herói salvou todos os passageiros de avião que se despenhou no México
Piloto herói salvou todos os passageiros de avião que se despenhou no México
Piloto herói salvou todos os passageiros de avião que se despenhou no México
A sobrevivência 'milagrosa' dos 103 ocupantes do avião da Aeroméxico que se despenhou na terça-feira em Durango ficou a dever muito à perícia do piloto. De acordo com vários passageiros do voo AM 2431, que seguia para a Cidade do México, o piloto, Carlos Galván Meyran, de 38 anos, conseguiu manter o aparelho direito, fazendo-o aterrar sem explodir ao embater no solo.  

"O aparelho caiu de barriga e ficámos ao nível do solo. Quando saí, desci um degrau de 30 cm e já estava em terra", afirmou Rómulo Campuzano González, um dos 99 passageiros e líder regional do Partido Ação Nacional (PAN).

Rómulo recorda também que o piloto deu o alerta imediato. "Estamos em situação de emergência crítica. Ponham-se em posição de impacto", foi a mensagem do piloto. Logo de seguida, "senti uma pancada terrível", recorda Rómulo: "Senti dores nas costas e logo a seguir o avião saltou depois de embater em terra." No interior foi o caos, com malas a cair das bagageiras sobre os passageiros, entre um ruído ensurdecedor.

Além do sangue-frio do piloto, que sofreu lesões graves na coluna e foi operado, os passageiros destacam também o trabalho das assistentes de bordo Samanta Huerta e Brenda Zavala Gómez, "que ficaram até ao fim, até descer o último passageiro". Foram elas que, com grande firmeza, pediram aos passageiros para se afastarem o mais possível do avião. A saída rápida foi fundamental para evitar mortes, pois o avião incendiou-se pouco depois.

As caixas negras do aparelho foram esta quinta-feira recuperadas e vão ser examinadas para apurar o que causou o acidente, que, segundo dados preliminares, terá sido precipitado por um golpe de vento durante a descolagem de Durango.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)