Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Presidente do Turquemenistão foi dado como morto e respondeu com vídeo lúdico

Gurbanguly Berdymukhamedov decidiu apareceu na televisão do país a jogar bowling e a conduzir um carro junto a um vulcão.
13 de Agosto de 2019 às 11:36
Gurbanguly Berdymukhamedov, Presidente do Turquemenistão
Gurbanguly Berdymukhamedov, Presidente do Turquemenistão FOTO: Getty Images

O presidente do Turquemenistão, Gurbanguly Berdymukhamedov, foi dado como morto por meios de comunicação russos no passado mês e decidiu mostrar que estava bastante vivo.

Através da televisão estatal, o chefe de Estado de 62 anos mostrou, na passada semana, mais de 30 minutos das suas férias, em que este surge a passear pela residência oficial de bicicleta e a cavalo, a treinar a sua pontaria numa carreira de tiro, a jogar bowling ou a conduzir um carro junto a um vulcão.

 A confirmação de que Berdymukhamedov não está mesmo morto veio esta segunda-feira, quando o presidente turcomeno surgiu ao lado do primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Medvedev, num fórum económico em Avaza, uma zona turística do país.

Na mesma cerimónia estiveram também o primeiro-ministro do Azerbeijão, Novruz Mammadov, o vice-presidente do Irão, Eshaq Jahangiri, e o primeiro-ministro do Cazaquistão, Askar Mamin.

Quem é Gurbanguly  Berdymukhamedov?

O presidente do Turquemenistão chegou ao poder em 2006 e é conhecido pela ostentação que tenta mostrar no seu país, pelo seu ar de "homem forte" e pelo seu amor por cavalos da raça Akhal-Teke, um símbolo no seu país.

O amor é tão grande que este possui 10% de todos os cavalos da raça, escreveu músicas para eles e participou em corridas – ficando conhecido por cair de um, em 2013.

Berdymukhamedov tem também um gosto por bater recordes mundiais do Guiness. Sob o seu comando, o Turquemenistão já construiu a maior roda-gigante, o maior número de edifícios de mármore branco no mesmo espaço e a maior estátua de uma cabeça de cavalo.

Gurbanguly Berdymukhamedov Turquemenistão política governo (sistema) questões sociais defesa chefes de estado
Ver comentários