Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Primeiro-ministro do Canadá hesita deslocar-se a Washington para cimeira do novo NAFTA

Em causa estão os eventuais direitos alfandegários dos EUA sobre o alumínio canadiano.
Lusa 3 de Julho de 2020 às 20:45
Justin Trudeau
Justin Trudeau FOTO: Getty
O primeiro-ministro canadiano Justin Trudeau indicou esta sexta-feira que hesita deslocar-se na próxima semana a Washington para uma cimeira que assinala a entrada em vigor de um novo acordo comercial com os EUA e México, devido a um contencioso com Washington.

Em causa estão os eventuais direitos alfandegários dos EUA sobre o alumínio canadiano.

"Ainda estamos em discussões com os americanos para saber se haverá uma cimeira trilateral na próxima semana", afirmou Trudeau durante uma conferência de imprensa, numa referência à programada cimeira do USMCA (United States-Mexico-Canada Agreement).

"Estamos evidentemente preocupados pela questão das tarifas de alumínio e aço, que os americanos evocaram recentemente", precisou o chefe do Governo canadiano.

De acordo com Trudeau, outro motivo de inquietação reside "na situação sanitária e o coronavírus que ainda ataca" os três países, e quando os Estados Unidos permanecem o país mais atingido do mundo pela pandemia, com mais de 2,7 milhões de casos e 128.000 mortos.

O Presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador confirmou por sua vez que se reencontrará com o Presidente norte-americano Donald Trump na próxima semana em Washington.

"Confirmo ter recebido um convite do Governos dos Estados Unidos para uma visita oficial de trabalho a 08 e 09 de julho próximos", tinha previamente anunciado terça-feira na rede social Twitter o ministro dos Negócios Estrangeiros mexicano, Marcelo Ebrard.

No início da semana, Justin Trudeau tinha já evocado os rumores de que Trump poderia reimpor os direitos alfandegários sobre o alumínio canadiano.

Trudeau fez saber que os EUA não têm capacidade de produção suficiente e necessitam de alumínio canadiano para as suas indústrias automóvel e de alta tecnologia.

Em 17 de junho, o representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, tinha advertido, perante o Congresso norte-americano, que a administração Trump estava disposta a adotar medidas imediatas para contrariar as eventuais violações ao novo acordo.

O USMCA, que engloba 500 milhões de pessoas, é uma versão atualizada do tratado de livre comércio norte-americano (North American Free Trade Agreement, NAFTA em inglês), que entrou em vigor em 1994 e era há muito contestado por Donald Trump.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)