Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Procurador alemão que disse que Maddie está morta recua e admite que "pode estar viva"

Wolters, procurador em Braunschweig admitiu que "como não há provas forenses, ainda há esperança".
Correio da Manhã e Marta Ferreira 13 de Junho de 2020 às 23:29
A carregar o vídeo ...
Procurador alemão que disse que Maddie está morta recua e admite que "pode estar viva"
Hans Christian Wolters, o procurador alemão que disse que Madeleine McCann está morta, recuou e admite agora que a menina pode estar viva.

Wolters, procurador em Braunschweig responsável pela investigação a Christian Brueckner admitiu que "como não há provas forenses, ainda há esperança".

O recuo de Wolters está relacionado com o facto das suas declarações terem sido fortemente divulgadas pelos meios de comunicação ingleses. O procurador afirma não querer "matar a esperança" e, dado não existirem provas suficientes, a hipótese de Maddie estar viva não está ainda descartada. 

"Não queremos matar a esperança [dos pais de Maddie], estou surpreendido que o facto de dizermos que a Madeleine está morta seja tão importante para os ingleses. Na Alemanha é comum investigarmos casos destes como homicídio, por isso não é tão importante, é habitual", apontou. 

As declarações do procurador apontavam para a morte de Madeleine

"Todas as indicações que temos, que não posso contar-lhe, apontam para que Madeleine esteja morta. Temos coisas que não podemos comunicar que falam pela teoria de que Madeleine está morta, mesmo que eu tenha que admitir que não temos o corpo", afirmou à estação de televisão britânica.

Porém, o mesmo responsável disse que faltam provas suficientes para obter um mandado de detenção e julgamento de Christian B. pelo homicídio da criança desaparecida em Portugal.

"Não temos as provas concretas, não temos as provas cruciais do corpo de Madeleine McCann", afirmou.

"Menina está morta": Procurador alemão diz que há provas que apontam para a morte de Maddie

Christian B. está detido na Alemanha por abuso sexual de menores, entre outros crimes e, segundo as polícias britânica e alemã, é suspeito de envolvimento no desaparecimento de Madeleine McCann, no Algarve, em 2007.

Madeleine McCann desapareceu poucos dias antes de fazer 4 anos, a 03 de maio de 2007, do quarto onde dormia juntamente com os dois irmãos gémeos, mais novos, num apartamento de um aldeamento turístico, na Praia da Luz, no Algarve.

As polícias do Reino Unido e Alemanha emitiram na semana passada um apelo público a pedir informação sobre o suspeito, que viveu em Portugal entre 1995 e 2007 e que registos telefónicos colocam nas redondezas da Praia da Luz na noite de desaparecimento.

Os investigadores esperam obter mais informação sobre o suspeito que possam levar à sua incriminação.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)