Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Reabertura da fronteira com Espanha assinalada com hinos e palmas

Chefes de Estado e de Governo dos dois países participaram nas cerimónias em Badajoz e Elvas.
Lusa 1 de Julho de 2020 às 12:36
A reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha foi esta quarta-feira assinalada pelos chefes de Estado e de Governo dos dois países, em cerimónias em Badajoz e Elvas, com hinos nacionais e palmas, sem discursos oficiais.

As cerimónias tiveram início pelas 09:45 de Portugal (10:45 em Espanha), no Museu Arqueológico situado na Alcáçova de Badajoz, e terminaram cerca de uma hora e meia depois, no Castelo de Elvas, no distrito de Portalegre.

Em cada um dos lados da fronteira, foram executados os hinos português e espanhol, perante o Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, o rei de Espanha, Felipe VI, do primeiro-ministro português, António Costa, e o chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez.

Devido à pandemia de covid-19, por decisão conjunta, a fronteira luso-espanhola esteve encerrada durante três meses e meio, entre os dias 17 de março e 30 de junho, com pontos de passagem exclusivamente destinados ao transporte de mercadorias e a trabalhadores transfronteiriços.

Na Alcáçova de Badajoz, os chefes de Estado e de Governo ouviram os dois hinos nacionais, executados pela Orquestra da Estremadura, dispostos num estrado, com bandeiras de Portugal e de Espanha por trás, e no final bateram palmas.

Em seguida, Marcelo Rebelo de Sousa, Felipe VI, António Costa e Pedro Sánchez colocaram máscaras de proteção e caminharam alguns metros até à beira da fortaleza, voltando-se para Portugal.

Abaixo, estava um grupo de espanhóis que gritavam pela República, enquanto outros, situados no outro lado da praça, exclamavam "viva o rei".

A cerimónia em território espanhol terminou com os chefes de Estado e de Governo dos dois países ibéricos a posar para uma "fotografia de família", perante dezenas de repórteres de imagem.

Uma cerimónia idêntica realizou-se, mais tarde, no Castelo de Elvas, onde Marcelo Rebelo de Sousa, Felipe VI, António Costa e Pedro Sanchéz fizeram um curto percurso a pé, com um desvio para cumprimentar algumas pessoas que lhes acenavam, contidas por baias.

Em Elvas, foi a Banda da Armada que executou os hinos nacionais dos dois países e no final os chefes de Estado e de Governo voltaram a bater palmas.

A cerimónia em território português ficou concluída com uma nova "foto de família" num miradouro de onde se avista Espanha, junto ao qual os quatro conversaram mais longamente, e por momentos sem máscara.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)