Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
7

Resultados das vacinas contra a Covid-19 começam a ser anunciados. Conheça as mais promissoras

Vacinas da Pfizer e Sputnik V apresentaram resultados de eficácia superiores a 90%.
Correio da Manhã 11 de Novembro de 2020 às 13:13
Vacinas
Vacinas FOTO: Reuters
Com a pandemia a acelerar em todo mundo desde o final do mês de outubro, a necessidade de haver uma vacina eficaz contra a Covid-19 é cada vez maior. Esta segunda-feira, o mundo recebeu a notícia de que a vacina da farmacêutica Pfizer tinha uma eficácia de 90%, um valor que surpreendeu a comunidade científica. Já esta quarta-feira, a Rússia anunciou que a vacina Sputnik V apresentou resultados de 92% de eficácia. 

Estas notícias são como uma luz ao fundo do túnel numa altura em que há mais de 51 milhões de infetados em todo o mundo - conhecidos, visto que os assintomáticos que nunca foram testados podem elevar consideravelmente este número - e mais de um milhão de mortes (1 272 911, segundo os dados mais recentes). Mas as restantes vacinas? Os cientistas estão a trabalhar em contra-relógio para finalizar vacinas e começar, enfim, o processo de produção. Há dezenas de vacinas a serem desenvolvidas, conheça as que são mais promissoras. 

Vacina da Pfizer em conjunto com a alemã BioNTech
A vacina contra a Covid-19 que está a ser desenvolvida pela farmacêutica Pfizer é mais eficaz do que o esperado, segundo os primeiros ensaios divulgados esta segunda-feira.

A empresa revelou que a vacina foi eficaz em 90% dos casos em que atuou na prevenção da doença.

"O primeiro conjunto de resultados do ensaio de fase 3 da vacina Covid-19 fornece evidência inicial da capacidade da nossa vacina em prevenir a Covid-19", referiu Dr. Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer.

A vacina da Pfizer está a ser desenvolvida em conjunto com a alemã BioNTech. A farmacêutica pondera agora pedir uma autorização de emergência para conseguir a vacina no final de novembro, depois de concluidos todos os testes de segurança.

Alguns dos voluntários admitem que os sintomas sentidos após lhes ter sido injetada a vacina podem comparar-se aos efeitos da toma da vacina contra a gripe

Rússia anuncia que vacina Sputnik V tem 92% de eficácia 
A Rússia garantiu esta segunda-feira que a sua vacina Sputnik-V também é “mais de 90% eficaz” na prevenção do vírus, citando dados compilados da vacinação pública já em curso, em vez de testes clínicos, que ainda não terminaram.

"Com base nas nossas observações, a sua eficácia também é superior a 90%", afirmou Oksana Drapkina, diretora de um instituto de pesquisa do ministério da saúde russo.

A investigadora avançou ainda que irão ser publicados brevemente os resultados provisórios do teste pós-registro da vacina Sputnik V, os chamados testes de Fase III.

Até ao momento não foram ainda revelados estudos que comprovem esta eficácia.

Vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e AstraZeneca
Esta vacina era uma das favoritas na luta contra a Covid-19. Atualmente, os ensaios clínicos desta estão com semanas de atraso face à vacina da farmacêutica Pfizer.

A vacina, denominada ChAdOx1, está a ser alvo de testes de Fase III em todo o mundo, com resultados esperados nas próximas semanas.

Vacina da Moderna
A vacina da farmacêutica Moderna está a ser desenvolvida com uma tecnologia semelhante à da Pfizer de acordo com o imunologista norte-americano Anthony Fauci.

Esta denomina-se mRNA-1273 e também se encontra a ser alvo de testes de Fase III, à semelhança da vacina de Oxford. 30 mil voluntários norte-americanos vão participar neste fase e deverão receber a vacina.

Os resultados deverão, por isso, ser conhecidos também nas próximas semanas. 

De acordo com a Moderna, 500 milhões de doses da vacina poderão ser distribuídos no início do próximo ano, graças a um acordo com a fabricante suíça Lonza, que vai ajudar na produção de um bilião de doses por ano.

Vacina da CanSino em conjunto com o Instituto de Biotecnologia na China
A Ad5-nCoV é uma das principais candidatas a vacinas na China. Os resultados do ensaio de Fase II mostraram que a vacina produz "respostas imunes significativas na maioria dos receptores", sem efeitos colaterais graves, descreve o jornal britânico Mirror.

A farmacêutica CanSino ainda se encontra na fase II dos testes, porém, foi a primeira a receber aprovação limitada para usar a vacina em pessoas.

O governo chinês aprovou a vacina apenas para uso militar e ainda não foi anunciado quando é que esta poderá ser distribuída para a população.

Vacina da Janssen da Johnson & Johnson
A vacina da farmacêutica Janssen da Johnson & Johnson recebeu luz verde esta terça-feira para realizar testes finais no México.

A Ad26.COV2-S começou o ensaio de Fase III em setembro, incluindo 60 mil pessoas em 215 locais nos EUA, Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru e África do Sul.

Vacina da Novavax
A NVX-CoV2373 da farmacêutica Novavax, sediada em Maryland, Estados Unidos, é administrada em duas doses, com 21 dias de intervalo.

Esta vacina começou a ser alvo de testes de fase III no final de setembro no Reino Unido com 10 mil voluntários a serem vacinados. 


Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Vacinas Covid-19 Pfizer Moderna Sputnik V
Ver comentários