Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Rússia usou Trump durante 40 anos, revela antigo espião soviético

Yuri Shvets afirma que ideia da candidatura à presidência foi dos russos e garante que desde 1977 o magnata foi sempre seguido e aliciado.
Francisco J. Gonçalves 30 de Janeiro de 2021 às 09:26
Trump ponderou pela primeira vez concorrer à presidência no final dos anos 80
Trump ponderou pela primeira vez concorrer à presidência no final dos anos 80 FOTO: Reuters
O ex-presidente dos EUA Donald Trump foi usado pela espionagem soviética e depois pela sucessora russa, durante 40 anos. Quem o garante é Yuri Shvets, antigo espião do KGB, que compara Trump aos ‘Cinco de Cambridge’, nome dado ao grupo de espiões britânicos que passou segredos a Moscovo na II Guerra Mundial e início da Guerra Fria.

Em declarações ao ‘The Guardian’, Shvets afirma que Trump chamou pela primeira vez as atenções de Moscovo em 1977, quando se casou com a modelo checa Ivana Zelnickova (Ivana Trump). A partir daí foi sempre espiado, diz Shvets: “Reunimos muita informação. Sabíamos que era muito vulnerável intelectual e psicologicamente e era seduzido pelos elogios.”

O antigo espião do KGB garante que a ideia de se candidatar à presidência foi sugerida a Trump no final dos anos 80, quando visitou pela primeira vez Moscovo e São Petersburgo com Ivana. “Eram pessoas como ele que podiam mudar o Mundo”, disseram-lhe em Moscovo. No regresso aos EUA sondou possíveis apoios para a candidatura e escreveu uma carta aberta aos americanos na qual questionava a NATO. Curiosamente, quando se tornou presidente (facto saudado em Moscovo) essa foi uma linha mestra da sua política externa. As revelações completas surgem no novo livro ‘American Kompromat’, de Craig Unger.

Novo vídeo mostra morte no Capitólio
Um vídeo agora revelado, captado pela câmara de um polícia, mostra o momento em que Rosanne Boyland, de 34 anos, foi esmagada por apoiantes armados do ex-presidente Donald Trump que invadiram o Capitólio, no dia 6. Michael Foy é um dos homens na imagem.

Pormenores
Guerra republicana
A ‘caça às bruxas’ no Partido Republicano já está em curso. O apoiante de Trump e congressista pela Florida Matt Gaetz foi ao Wyoming para condenar Liz Cheney, congressista daquele estado que votou no Congresso para destituir o ex-presidente.

Estímulo económico
O presidente dos EUA, Joe Biden, está a tentar convencer os congressistas republicanos a aprovarem um pacote de quase dois mil biliões de dólares para estímulo à economia e apoio aos mais afetados pelo impacto da pandemia do novo coronavírus.

Ocasio-Cortez rejeita apoio de Ted Cruz
As feridas do assalto ao Capitólio estão bem abertas, como se revela na atitude da congressista democrata Alexandria Ocasio-Cortez diante do senador Ted Cruz . Em resposta a uma mensagem de apoio do republicano, a democrata afirmou: “Estou aberta a cooperar com republicanos, mas você quase fez com que me matassem há três semanas.” Cortez insiste que Trump e os republicanos que o apoiaram têm de prestar contas pelo assalto.
Ver comentários