Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

"Será que os democratas me vão pedir desculpa?": Trump após divulgar conteúdo da chamada ao presidente ucraniano

Presidente dos Estados Unidos ordenou a divulgação do conteúdo da chamada feita com o presidente ucraniano.
Correio da Manhã 25 de Setembro de 2019 às 16:20
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, comentou esta quarta-feira a abertura de processo de 'impeachment' num tweet em que afirma que apanhou os democratas "de surpresa" após ter ordenado a divulgação do conteúdo completo da chamada feita com o presidente ucraniano.

"Será que os democratas me vão pedir desculpa após verem o que foi dito na chamada com o presidente ucraniano? Deviam. A chamada perfeita, apanhei-os de surpresa", afirma o presidente norte-americano. 

O Departamento de Justiça dos EUA, com ordem do presidente norte-americano, divulgou o conteúdo da chamada de Trump ao presidente ucraniano em que lhe pedia que investigasse Hunter Biden, filho de Joe Biden.

Num memorando agora divulgado está a transcrição de toda a conversa num documento com cinco páginas. 

"Há muito a dizer sobre o filho de Biden, que Biden parou a procuradoria e muitas pessoas querem descobrir sobre isso, então o que você puder fazer com o procurador-geral seria ótimo", disse Trump a Zelensky num resumo da transcrição da chamada.

O líder democrata Biden supostamente interveio para anular uma investigação ucraniana da Burisma Holdings, uma empresa de gás natural em que seu filho Hunter Biden era diretor. "Biden gabou-se de ter parado a procuradoria, então se você puder investigar... parece-me horrível", continuou Trump.

Devido a esta chamada, a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, anunciou esta terça-feira um processo de destituição contra Donald Trump. "Ninguém está acima da lei", sublinhou a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA.

O chefe de estado norte-americano está a ser acusado de ter feito um telefonema para o homólogo da Ucrânia, Vladimir Zelenski, em julho passado, pressionando-o a investigar Hunter Biden, filho de Joe Biden, vice-presidente no mandato do presidente Barack Obama e atual candidato à Casa Branca pelo Partido Democrata, por suspeita de irregularidades na sua ligação com uma empresa ucraniana.
Donald Trump Hunter Biden Joe Biden política crime lei e justiça diplomacia prisão prisão
Ver comentários