Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Supremo bloqueia nomeação polémica de amigo de filho de Bolsonaro para a Polícia Federal

Justiça suspendeu nomeação de Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal, que está a investigar Carlos Bolsonaro por vários crimes.
Domingos Grilo Serrinha e correspondente no Brasil 30 de Abril de 2020 às 09:13
Jair Bolsonaro escolheu Alexandre Ramagem, amigo da família, para liderar a Polícia Federal brasileira
Jair Bolsonaro escolheu Alexandre Ramagem, amigo da família, para liderar a Polícia Federal brasileira FOTO: Reuters

O Supremo Tribunal Federal brasileiro (STF) suspendeu esta quarta-feira a nomeação de Alexandre Ramagem como novo diretor-geral da Polícia Federal, anunciada dias antes pelo presidente Jair Bolsonaro, no que foi visto como uma tentativa para proteger o filho, Carlos, das investigações em curso naquela força. A suspensão tem caráter provisório até que o plenário do tribunal ratifique ou anule a decisão.

O juiz Alexandre de Moraes, que ordenou a suspensão após uma queixa do Partido Democrático Trabalhista, afirmou existirem fortes indícios de "desvio de finalidade" na nomeação de Ramagem. Este é amigo íntimo da família Bolsonaro, principalmente de um dos filhos do presidente, Carlos Bolsonaro, que terá pressionado o pai para a sua nomeação.

Carlos é alvo de pelo menos uma investigação da Polícia Federal em que é suspeito de liderar um grupo criminoso especializado no disparo de notícias falsas contra adversários do pai e de ser responsável por ameaças a juízes do STF, que tem anulado vários decretos de Bolsonaro considerados abusivos.

Na sexta-feira, o ministro da Justiça, Sérgio Moro, abandonou o cargo após Bolsonaro demitir o anterior diretor-geral da Polícia Federal e acusou o presidente de estar a trocar o comando da corporação para interferir nas investigações. Estas acusações levaram já o Supremo Tribunal a abrir uma investigação contra o presidente brasileiro por abuso de poder.

Ver comentários