Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Travada falência de empresa de diamantes

Suspenso pagamento de 25,7 milhões da SODIAM ao BIC na mira.
Maria Vaz 6 de Julho de 2020 às 08:30
Isabel dos Santos
Isabel dos Santos FOTO: Getty Images
O Tribunal de Luanda decidiu que o banco BIC passa não poderá fazer qualquer cobrança de dívidas ao Estado angolano e à empresa angolana de comercialização de diamantes SODIAM, até à decisão final sobre a ação que decorre contra Isabel dos Santos e o seu marido, Sindika Dokolo.
Deste modo, a SODIAM passa a estar dispensada de pagar ao banco, de que Isabel dos Santos foi fundadora, os 29 milhões de dólares (25,7 milhões de euros) referentes à última prestação do financiamento cedido para a compra da empresa suíça de joalharia De Grisogono. Esta última prestação teria de ser paga até 16 de agosto, o que deixaria a empresa pública angolana de diamantes na falência.

Na sentença, de 11 de maio, citada pela Lusa, o Tribunal Provincial de Luanda dá razão ao Ministério Publico que reivindica a existência de "um direito de crédito" contra a filha do ex-presidente José Eduardo dos Santos, o seu marido e o gestor português Mário Leite da Silva, ex-presidente do Banco de Fomento Angola e parceiro de negócios do casal.

Em causa, valores transferidos pela SODIAM, para a Victoria Holding Limited e para a De Grisogono Holding, SA, "empresas estrangeiras detidas direta ou indiretamente pelos requeridos", um negócio fraudulento que terá lesado Angola em cinco mil milhões de dólares (4,4 mil milhões de euros).
Ver comentários