Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Treinador tortura menina e força-a a fazer a espargata

Vídeo mostra menor a chorar com dores a pedir ao homem para parar.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 25 de Agosto de 2017 às 10:23
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir
Ally foi forçada a fazer a espargata apesar de não conseguir

As imagens chocantes mostram uma menina de 13 anos aos gritos e a chorar ao ser forçada a fazer a espargata num treino de chefes de claque no Colorado, EUA. Ally Wakefield pede para o treinador Ozell Williams parar, enquanto esta força as pernas da jovem para baixo, rasgando-lhe os músculos das coxas.

Depois da divulgação do vídeo nas redes sociais, a escola East High School, em Denver, abriu um inquérito. A mãe da menina acusa o treinador de torturar a filha e de lhe causar lesões nos músculos das coxas. "Isto é um homem adulto a levar a minha filha para lá do limite físico dela, contra a sua vontade, enquanto ela grita e chora para ele parara, porque lhe estava a rasgar os tecidos do corpo dela", acuda Kirsten numa entrevista à NBC.

Esta não é a primeira queixa que surge aos métodos de treino do treinador. A mãe de outra aluna daquela escola garante que a filha sofreu o mesmo. "Não sei como se justifica um ato bárbaro destes, deixa-me doente", afirma Cheri Nickolay.

Enquanto decorre ainda a investigação, foram para já suspensos o treinador, o diretor da escola, a assistente da direção e uma treinadora assistente. "Proibimos absolutamente toda e qualquer prática que ponha a saúde física e mental dos nossos alunos em risco. Não permitimos que um aluno seja obrigado a fazer uma atividade ou exercício para além do ponto em que expressam o seu desejo para parar", diz o superintendente das escolas de Denver.

A família está a ponderar interpôs uma ação judicial contra o treinador em causa e garante que a investigação só foi aberta depois do vídeo se tornar viral nas redes sociais. "Eu enviei um email a queixar-me com o vídeo em junho, quanto tudo aconteceu", garante a mãe de Ally. O pai diz que a filha está traumatizada, que não consegue dormir, e que tem sido atacada por colegas e por desconhecidos nas redes sociais.

Ver comentários