Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Trump prepara uma centena de perdões antes de deixar a Casa Branca

Presidente deve perdoar aliados e ex-colaboradores no último ato oficial. Foi aconselhado a não perdoar envolvidos no ataque ao Capitólio.
Ricardo Ramos 19 de Janeiro de 2021 às 08:50
Últimos perdões presidenciais deverão ser anunciados por Trump
Últimos perdões presidenciais deverão ser anunciados por Trump FOTO: Reuters
Donald Trump deverá anunciar esta terça-feira mais de uma centena de perdões presidenciais e comutações de penas, naquele que será o seu último ato oficial antes de deixar amanhã a Casa Branca. Os principais visados deverão ser aliados e ex-colaboradores, e a grande incógnita é saber se irá perdoar-se a si próprio, como várias vezes sugeriu.

Trump esteve nos últimos dias reunido com o genro, Jared Kushner, para ultimar a lista, da qual deverão fazer parte nomes como Rudolph Giuliani, o seu advogado pessoal, Steve Bannon, ex-conselheiro e conhecido agitador da extrema-direita, ou até membros da sua própria família. Outras figuras menos conhecidas, como cantores de rap ou o oftalmologista Salomon Melgen, condenado por fraude com seguros de saúde, poderão igualmente estar entre os perdoados por Trump, avançou a CNN. Recorde-se que, durante o seu mandato, Trump perdoou ou comutou as sentenças de vários ex-colaboradores envolvidos na trama russa, como o general Michael Flynn ou o seu antigo diretor de campanha Paul Manafort.

O senador republicano Lindsey Graham, um dos maiores apoiantes de Trump, aconselhou o presidente a não perdoar nenhum dos envolvidos no ataque ao Capitólio, afirmando que isso iria “destruí-lo” aos olhos dos americanos.

pormenores
Vender segredos à Rússia
Uma apoiante de Trump que roubou um computador portátil do gabinete de Nancy Pelosi durante o ataque ao Capitólio pretendia vendê-lo à Rússia, disse ontem o FBI. Riley June Williams foi denunciada por um ex-namorado, que disse que ela planeava enviar o portátil a um amigo russo, para este o vender ao FSB (serviços secretos russos).

Congressista suspensa
O Twitter suspendeu a conta da congressista republicana Marjorie Taylor Greene por partilhar publicações dos adeptos da teoria da conspiração QAnon.

Segurança teme “ataque interno”
O FBI está a investigar em contrarrelógio os antecedentes dos mais de 25 mil militares da Guarda Nacional mobilizados para a tomada de posse de Joe Biden, amanhã, por receio de um possível “ataque interno” levado a cabo por apoiantes de Trump que façam parte daquela força.

Susto com incêndio junto ao Capitólio
Um pequeno foco de incêndio num acampamento de sem-abrigo perto do Capitólio levou ontem os serviços secretos a ordenarem o encerramento total do edifício e a aconselharem todos os presentes a afastarem-se das portas e janelas devido a uma “ameaça externa”. Os ensaios para a tomada de posse de Joe Biden, que decorriam na praça em frente ao Capitólio, também foram suspensos devido a uma “abundância de cautela”.
Ver comentários