Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Trump sugere injeção de desinfetante para curar coronavírus

3176 vítimas mortais registadas no dia de ontem nos EUA.
Maria Vaz 25 de Abril de 2020 às 09:16
Donald Trump
Donald Trump FOTO: Reuters

O Presidente dos EUA, Donald Trump, sugeriu esta sexta-feira que se deveria fazer uma investigação para apurar se uma injeção de desinfetante poderia ser usada para tratar doentes infetados.

"Vejo que o desinfetante mata o vírus num minuto. Um minuto. Existe alguma forma de conseguirmos fazer isso? Por exemplo, através de uma injeção ou uma espécie de limpeza?" questionou Trump, que foi entretanto duramente criticado por profissionais de saúde.

A comunidade científica chegou a classificar a ideia como irresponsável e perigosa. Depois desta sugestão - Trump já esclareceu que estava a ser sarcástico - também algumas marcas de desinfetantes lançaram um aviso para que as pessoas não ingerissem os seus produtos.

A ideia tornou-se pública no dia em que os EUA tiveram um dos piores registos diários de mortos, com 3 176 óbitos registados.

PORMENORES
Queda no número de óbitos 
Espanha registou no último dia 367 vítimas mortais devido à Covid-19, o número diário mais baixo desde 20 de março. Segundo as autoridades sanitárias espanholas no total já se contam 22 524 óbitos.

Mortes diminuem em Itália
O número de infetados em Itália ascendeu esta sexta-feira a 192 994, com mais 3021 novos casos confirmados de infeção. Porém o número de mortes diminuiu, tendo-se registado 420 óbitos, menos 44 do que na véspera.

Mais vítimas em Inglaterra
Segundo o Ministério da Saúde britânico, faleceram esta sexta-feira mais 684 pessoas infetadas, aumentando o número total de óbitos para 19 506. Já estão contabilizados 143 464 casos de contágio no Reino Unido.

MUNDO EM PORTUGUÊS
50 mil testes chegam nas próximas semanas   
O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, anunciou que o país vai ter cerca de 50 mil testes disponíveis nas próximas semanas de modo a poder alargar a testagem para o despiste da Covid-19. Os testes serão feitos aos doentes que recorrerem às estruturas de saúde apresentando sintomas gripais, mas também aos profissionais de saúde, bombeiros, agentes de desinfeção e outras pessoas que lidem com pessoas infetadas.

Presidente prorroga Estado de emergência 
O presidente da República de Angola, João Lourenço, declarou esta sexta-feira a prorrogação do estado de emergência por mais 15 dias, a partir de 26 de abril e com término a 10 de maio. Tal decisão, porém, prevê o alívio de algumas medidas "em grande parte do território nacional, abrindo a possibilidade da retoma paulatina da atividade económica", afirmou João Lourenço, que apelou à população que mantivesse as medidas de prevenção.

Uso de máscaras 
O primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, recomendou o uso alargado de máscaras à população, após o fim do estado de emergência. A proteção deve ser usada "em espaços interiores fechados de atendimento ao público ou que impliquem o contacto com o público", acrescentou o governante.   

Debate adiado 
Só na segunda-feira é que o Parlamento Nacional de Timor-Leste vai debater o pedido de extensão do estado de emergência, foi esta sexta-feira decidido. O debate do pedido vai decorrer já depois de ter terminado o prazo de 30 dias do atual estado de exceção, que foi decretado em março e termina oficialmente amanhã.

VOLTA AO MUNDO
Vacina testada 
Um laboratório chinês anunciou que uma vacina experimental em macacos "protegeu-os largamente", pela primeira vez. Quatro dos animais receberam uma dose elevada e "não apresentam qualquer traço detetável do vírus nos pulmões".

Divisórias 
A União Europeia recomendou esta sexta-feira que para um "regresso seguro" ao trabalho as empresas deverão colocar divisórias entre os funcionários. Foi incentivada também a continuação do teletrabalho e o uso de transportes individuais.

Suspensão de rotas
A Indonésia suspendeu desde esta sexta-feira as rotas aéreas até 1 de junho e marítimas até 8 de junho, sejam domésticas ou internacionais, à exceção de viagens para repatriar indonésios ou permitir que estrangeiros regressem aos seus países. 

Restrições diminuem
O governo israelita aprovou esta sexta-feira a diminuição de várias restrições impostas no país, passando a estar autorizada, a partir de amanhã, a abertura de todas as lojas e negócios, à exceção dos centros comerciais.

OMS lança coligação
A Organização Mundial de Saúde apresentou esta sexta-feira uma coligação de países, organizações e empresas que estão empenhadas em assegurar a disponibilização de vacinas e testes de diagnóstico rapidamente e em todo o mundo.

Mais testes
Os países da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) sublinharam a necessidade aumentar os testes de despistagem à Covid-19 e de criar corredores de transporte humanitários para as equipas médicas.

Pacote de ajuda 
O Congresso dos Estados Unidos aprovou um pacote de apoio à economia e aos hospitais do país no valor de mais de 448 mil milhões de euros. Do total da verba mais de 69 mil milhões de euros vão ser atribuídos às unidades hospitalares.

Material médico 
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disponibilizou material de saúde à Colômbia para ajudar a lidar com a pandemia. Porém, a nota da Casa Branca não especificou quais os materiais que vão ser entregues e se a oferta foi aceite.

Viagens autorizadas
A República Checa acelerou o levantamento das restrições no país, passando a estar autorizadas todas as viagens ao estrangeiro, "inclusivamente para férias", anunciou esta sexta-feira o ministro da Saúde, Adam Vojtech.

Nove dias sem óbitos
A China avançou esta sexta-feira que há nove dias consecutivos não tem registo de qualquer vítima mortal. Também foi o terceiro dia seguido em que o número de novos casos desceu, sendo que esta sexta-feira registou seis novos casos, dois deles importados.

Ver comentários