Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Trump trava imigração legal durante crise do coronavírus

Medida visa proteger os empregos dos americanos durante a crise da Covid-19.
Ricardo Ramos 22 de Abril de 2020 às 09:03
Donald Trump, presidente dos EUA
Donald Trump, presidente dos EUA FOTO: Reuters

O presidente Donald Trump anunciou que vai suspender a imigração para os Estados Unidos de forma a "proteger os empregos dos americanos" durante a crise económica provocada pela pandemia. A medida, de tons claramente eleitoralistas, recupera um dos temas favoritos do presidente americano a poucos meses das presidenciais.

"Face ao ataque do inimigo invisível [o vírus ] e à necessidade de proteger os empregos dos nossos grandes cidadãos americanos, vou assinar uma Ordem Executiva para suspender temporariamente toda a imigração para os EUA", escreveu Trump no Twitter.



A medida coloca em risco o programa ‘Green Card’, ao abrigo do qual centenas de milhares de pessoas imigram legalmente para os EUA todos os anos. A oposição democrata já acusou o presidente de "politizar" a pandemia para tentar ganhar votos.

PORMENORES
Georgia levanta medidas
A Georgia é o primeiro estado americano a anunciar o levantamento parcial das medidas de confinamento. A partir de sexta-feira reabrem os ginásios, cabeleireiros e salões de bowling, seguindo-se, na segunda-feira, os cinemas e restaurantes.

Apelo à desobediência
Na semana passada, Trump apelou à "libertação" de vários estados democratas onde estão em vigor medidas de confinamento, tendo sido acusado de incitar à desobediência civil.

Encontro com Cuomo
O presidente ia reunir-se esta terça-feira à noite com o governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, que tem sido bastante crítico da atuação do governo na ajuda aos estados mais afetados.

MUNDO EM PORTUGUÊS
"Não sou coveiro", diz Bolsonaro
Questionado segunda-feira pelos jornalistas sobre o número real de mortos no Brasil por causa da pandemia, o presidente brasileiro respondeu em tom irritado: "Não sou coveiro. Quem fala de mortos é o coveiro, e eu não sou coveiro, tá?". O episódio ocorreu depois de o Ministério da Saúde ter corrigido de 383 para 113 o número de mortos na véspera, num incidente justificado como um "erro de digitação" mas que levantou dúvidas entre os jornalistas.

Alívio do confinamento nas ilhas de Cabo Verde não afetadas
O governo de Cabo Verde vai avaliar esta quinta-feira, em reunião com o presidente Jorge Carlos Fonseca,  o levantamento das medidas de confinamento a partir de 27 de abril nas ilhas onde ainda não foram registados casos de coronavírus. Cabo Verde tem até agora um total de 67 casos confirmados de Covid-19, distribuídos pelas ilhas da Boavista (52), Santiago (14) e São Vicente (1). Nestas três ilhas, o estado de emergência estará em vigor até 3 de maio. 

147 angolanos em quarentena
Um grupo de 147 angolanos que regressou esta semana de Cuba foi colocado de quarentena por 14 dias para evitar um possível contágio de Covid-19. Os angolanos, que estiveram a receber tratamento médico em Cuba, regressaram a Luanda num voo humanitário organizado pelo governo de Luanda.

Túneis de desinfeção em Moçambique
O Hospital Central de Maputo, principal unidade de saúde moçambicana, instalou esta terça-feira dois túneis de desinfeção para utentes e profissionais, para reforçar as medidas de prevenção contra a Covid-19. Moçambique registou até ao momento 39 casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, sem mortes.

VOLTA AO MUNDO
Restaurantes e igrejas
A Áustria, que foi um dos primeiros países europeus a iniciar o levantamento das medidas de confinamento, vai reabrir os restaurantes e bares a partir de 15 de maio, a mesma data em que serão retomados os serviços religiosos.

Corrida ao barbeiro
O levantamento de algumas medidas de confinamento na Dinamarca, na segunda-feira, provocou uma autêntica corrida aos barbeiros e cabeleireiros. A maioria já tem lista de espera para três ou mais semanas.

Turistas em gruta
A polícia de Rishikesh, no norte da Índia, resgatou seis turistas estrangeiros que viviam há quase um mês numa gruta por terem ficado sem dinheiro para pagar o hotel e não conseguirem deixar o país devido ao fecho das fronteiras.

Alerta em Singapura
Singapura anunciou o reforço das medidas de confinamento após uma segunda vaga de infeções ter deitado por terra os esforços de contenção das primeiras semanas. Só nos últimos dias foram confirmados mais de 3 mil casos.

Reino Unido passou o pico
Cientistas acreditam que o Reino Unido ultrapassou o pico de contágios a 8 de abril. Desde então, o número de mortes e novos casos tem sido "consistente", sem saltos imprevistos, e o país estará agora no planalto antes de iniciar a descida.

Crianças saem à rua
Ao fim de um mês de confinamento obrigatório, as crianças espanholas até aos 14 anos vão poder sair à rua a partir de segunda-feira, mas só para acompanhar os pais nas compras. Passeios e brincadeiras vão ter de esperar.

Não há Oktoberfest
O governo do estado alemão da Baviera anunciou o cancelamento da edição deste ano do Oktoberfest, o famoso festival da cerveja que todos os anos leva dezenas de milhares de pessoas a Munique. Evento devia arrancar a 19 de setembro.

Viagens proibidas
A Indonésia proibiu as deslocações internas durante o período do Ramadão, temendo que o êxodo de milhões de pessoas para passarem as festividades com a família possa provocar um aumento exponencial de casos de Covid-19 no país.

Máscaras com defeito
Milhares de profissionais de saúde espanhóis vão realizar testes de despistagem de Covid-19 depois de terem usado máscaras defeituosas compradas à China. É o segundo caso do género depois da compra de testes ineficazes.

Pamplona sem festas
As populares festas de San Fermín em Pamplona, Espanha, conhecidas mundialmente pelas corridas de touros na ruas, foram canceladas por causa da pandemia. A última vez que foram canceladas foi em 1938, durante a Guerra Civil Espanhola.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)