Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Ultrapassados os 20 mil óbitos por coronavírus no Reino Unido

Já morreram 20 319 cidadãos britânicos devido ao surto da Covid-19.
Maria Vaz 26 de Abril de 2020 às 09:36
Coronavírus no Reino Unido
Coronavírus no Reino Unido FOTO: Direitos Reservados

O Reino Unido ultrapassou a barreira das 20 mil vítimas mortais em hospitais devido à Covid-19, depois de este sábado ter registado mais 813 mortes de pessoas infetadas com a doença -totaliza 20 319 óbitos desde o início da pandemia. Também o número de pessoas infetadas voltou este sábado a subir, com 4913 novos casos, elevando para 148 377 os casos de contágio, referiu o Ministério da Saúde britânico.

Em conferência de imprensa, a ministra da Administração Interna, Priti Patel, adiantou ainda que já foram realizados  640 792 testes desde o início da pandemia de coronavírus.

Ainda no mês de março, antes de ser decretado o confinamento geral no país, o diretor médico do serviço nacional de saúde, Stephen Powis, tinha afirmado que o Reino Unido teria um bom resultado se o número de vítimas mortais permanecesse abaixo das 20 mil.

PORMENORES
Mortos diminuem em Itália    
O número de vítimas mortais registadas este sábado em Itália foi de 415, o número mais baixo desde o dia 17 de março. O volume de novos casos de infeção também foi o mais baixo dos últimos cinco dias, contando-se este sábado  2357 novos casos. 

Quase 23 mil vítimas em França
Morreram este sábado mais 369 pessoas em França, só em meio hospitalar e nos lares, elevando o total de vítimas mortais no país para 22 614,  avançou o Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia já se contam 124 114 casos confirmados.

Ligeira subida de mortes em Espanha
Espanha registou este sábado mais 378 vítimas mortais, uma ligeira subida em relação aos números de sexta-feira (367), contando 22 902 óbitos no total.

MUNDO EM PORTUGUÊS
Cemitérios abrem 13 mil novas sepulturas no Brasil 
A cidade de São Paulo, a mais populosa do Brasil, está a abrir às pressas 13 mil novas sepulturas em três grandes cemitérios urbanos, prevendo um dramático aumento de mortos causados pela Covid-19. O anúncio foi feito pelo presidente da câmara paulista, Bruno Covas, acrescentando que o município, além de estar a tentar aumentar o número de camas nos hospitais, também tem de se preparar para dar um tratamento digno àqueles que não resistirão. 

Mais de 13 300 com contratos suspensos em Cabo Verde   
O governo de Cabo Verde divulgou este sábado que há mais de 13 300 trabalhadores de 661 empresas no país que viram os seus contratos de trabalho suspensos devido à pandemia. O modelo simplificado para a suspensão de contratos de trabalho no país entrou em vigor a 1 de abril, por um período de três meses. Com esta medida os trabalhadores recebem 70% do seus salário bruto, que será pago em partes iguais pela entidade empregadora e pelo Estado.   

Estado de emergência na Guiné-Bissau
As autoridades sanitárias da Guiné-Bissau recomendaram o prolongamento do estado de emergência no país "porque apesar dos números ainda há alguns receios", afirmou Tumane Baldé, porta-voz do Centro de Operações de Emergência de Saúde, salientando que o país não regista novos casos há três dias.   

Alta hospitalar em Macau
Macau anunciou que mais um doente infetado recebeu alta hospitalar, depois de o território estar há 17 dias seguidos sem registar novos casos importados de Covid-19. Esta é já a 28ª alta hospitalar dos 44 casos importados da doença, sendo que, no total, Macau só registou 45 casos desde o início do surto pandémico.

VOLTA AO MUNDO 
OMS alerta
A Organização Mundial de Saúde alertou para os riscos associados ao conceito "passaportes de imunidade", explicando que ainda não existem evidências de que pessoas recuperadas estejam totalmente protegidas contra uma reinfeção.

Testes serológicos em Itália
A partir de 4 de maio, quando Itália iniciar a reabertura do país após quase dois meses de confinamento, vão começar a ser realizados testes serológicos, que servem para detetar se uma pessoa desenvolveu anticorpos à Covid-19.

Desconfinamento na Bélgica
A Bélgica vai iniciar a 4 de maio "um processo gradual de desconfinamento", que ainda prevê a utilização obrigatória de máscaras de proteção, pelo menos nos transportes públicos. O país está com restrições há sete semanas.

Doação de máscaras
Duas crianças do Vietname utilizaram o dinheiro que tinham poupado durante vários anos para fazer uma doação de 20 mil máscaras ao Reino Unido. As máscaras já chegaram num avião comercial  que repatriou cidadãos britânicos. 

Máscaras rejeitadas
O Canadá rejeitou cerca de um milhão de máscaras importadas da China que não cumpriam os padrões estabelecidos pelas autoridades sanitárias do país. As máscaras acabaram por não ser distribuídas aos profissionais de saúde.   

Equipamentos médicos
A Sérvia enviou quatro aviões para Itália com equipamentos médicos, incluindo luvas, máscaras e roupas de proteção. Ao longo dos próximos dois dias serão ainda realizadas outras quatro ligações aéreas para transportar mais equipamentos.

Contra quarentena
Centenas de pessoas que vivem na Polónia e trabalham na Alemanha realizaram um protesto na cidade fronteiriça de Zgorzelec contra uma quarentena obrigatória para aqueles que atravessam a fronteira.    

Segunda vaga
Vários virologistas alemães alertaram para o perigo de ocorrer uma segunda vaga da pandemia, que possivelmente trará consequências mais graves, pedindo que não se baixe a guarda em relação às medidas de segurança.

Atividade física
O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, anunciou este sábado que a partir do dia 2 de maio será permitido sair casa para a realização de atividades físicas. Sánchez alertou, porém, que a população tem de continuar a agir com prudência.

Menos restrições
Depois de um mês de confinamento geral, o governo da Índia permitiu a abertura dos pequenos estabelecimentos de bairro, mesmo que não vendam produtos essenciais. No entanto, as lojas em centros comerciais vão continuar fechadas.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)