Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Varíola dos macacos: Mundo em alerta com novos casos

Cientistas acreditam que há um surto global sério de uma doença grave.
João Saramago 19 de Maio de 2022 às 17:25
Varíola dos macacos
Varíola dos macacos

Depois dos nove casos no Reino Unido e 14 em Portugal há mais quatro países com casos confirmados de varíola dos macacos: Espanha (7) e Itália, Suécia, Estados Unidos, cada país com um caso confirmado.

Os surtos registados em cada país levantam o alarme porque a doença viral, encontrada pela primeira vez em macacos em África, atinge agora vários países em simultâneo, levando os cientistas a admitirem que estamos perante um surto global.

A varíola dos macacos é um vírus que causa sintomas de febre, bem como uma erupção cutânea específica. Geralmente a doença apresenta sintomas ligeiros, embora existam duas cepas principais: a cepa do Congo, que é mais grave – com até 10% de mortalidade – e a cepa da África Ocidental, que tem uma taxa de mortalidade de 1% dos casos. Os casos do Reino Unido foram relatados como a cepa da África Ocidental.

"Historicamente, houve muito poucos casos exportados. Isso só aconteceu oito vezes no passado antes deste ano", disse Jimmy Whitworth, professor de saúde pública internacional da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, que acrescentou que o vírus agora detetado é " altamente incomum".

O vírus foi encontrado pela primeira vez em macacos em 1958, daí o nome, embora os roedores sejam agora vistos como o provável principal hospedeiro animal.

A transmissão desta vez é intrigante para os especialistas, porque vários dos casos no Reino Unido - nove em 18 de maio - não têm conexão conhecida entre si. Apenas o primeiro caso relatado em 6 de maio viajou recentemente para a Nigéria.

O alerta da Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido também destacou que os casos recentes ocorreram predominantemente entre homens que se identificaram como gays, bissexuais ou homens que fazem sexo com homens, e aconselhou esses grupos a ficarem atentos.

Os cientistas procedem à sequenciação do genoma para verificar se os vírus estão ligados, disse a Organização Mundial da Saúde.

Um possível cenário por trás do aumento de casos, agora verificado, é o crescimento das viagens à medida que as restrições da Covid-19 são levantadas.

A varíola comum foi erradicada pela vacinação em 1980, e a vacina foi eliminada desde então. Mas também protege contra a varíola dos macacos, portanto, o encerramento das campanhas de vacinação levou a um salto nos casos de varíola em áreas onde a doença é endémica, de acordo com Anne Rimoin, professora de epidemiologia da Universidade da Califórnia.

"O vírus não causará uma epidemia nacional como o Covid, mas é um surto sério de uma doença grave – e temos de levar isso a sério", acrescentou Jimmy Whitworth.

Ver comentários
}