Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Vida sexual da princesa Diana revelada na TV

Documentário promete revelações chocantes. Diana sabia que Carlos a traía com Camilla quando ainda eram casados.
Carolina Canha e Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 26 de Julho de 2017 às 17:10
Vida sexual da Princesa Diana poderá ser transmitida na televisão britânica
Diana com os dois filhos, William e Harry
Diana no seu casamento com o Princípe Charles
Diana e o Princípe Charles
Diana e o Princípe Charles
Vida sexual da Princesa Diana poderá ser transmitida na televisão britânica
Diana com os dois filhos, William e Harry
Diana no seu casamento com o Princípe Charles
Diana e o Princípe Charles
Diana e o Princípe Charles
Vida sexual da Princesa Diana poderá ser transmitida na televisão britânica
Diana com os dois filhos, William e Harry
Diana no seu casamento com o Princípe Charles
Diana e o Princípe Charles
Diana e o Princípe Charles
Excertos de uma série de gravações em vídeo da vida sexual da Princesa Diana, na qual esta era discutida com o Princípe Carlos, poderão vir a ser transmitidos pelo canal televisivo britânico Channel 4, pela primeira vez.

O canal terá adquirido as gravações, feitas no palácio de Kensington, entre 1992 a 1993, onde os príncipes discutem detalhes da sua vida íntima com o ator norte-americano Petter Settelen, conforme avança o jornal The Independent.

O conteúdo das fitas é de tal forma sensível que nunca antes foi divulgado, segundo a mesma fonte. Porém, faz agora parte dos planos do Channel 4 torná-lo público, através de um documentário de longa duração intitulado "Diana: In Her Own Words", que traduzido para português significa "Diana: Nas Suas Próprias Palavras".

Até agora, o canal recusa-se a confirmar a transmissão da totalidade das confissões da vida íntima da princesa. Contudo, é conhecido que nas 21 horas de fita Diana falou abertamente sobre a sua vida sexual com o príncipe Carlos.

Príncipe Carlos traía Diana com Camilla pelo menos uma vez por mês

Anteriormente, foram transmitidos outros excertos sensíveis pelo canal de televisão norte-americano NBC, em 2004, onde Diana disse: "Foi estranho. Muito estranho. Mas havia (uma relação sexual), estava lá e depois desapareceu há cerca de sete anos".

"O instinto disse-me, era tão estranho. Nunca houve um requisito para o caso. Tipo uma vez a cada três semanas... E eu continuava a pensar... E então segui um padrão. Ele costuma ver a sua senhora [Camilla Parker Bowles, agora duquesa da Cornualha e esposa do Princípe Carlos] uma vez a cada três semanas antes de nos casarmos", acrescentou Diana.

Petter Settelen fez saber que Diana nunca quis que as gravações fossem tornadas públicas e, antes da transmissão da NBC em 2004, uma fonte real, citada pelo jornal Telegraph, declarou: "Será perturbador para os filhos da princesa de Gales e do príncipe Carlos". 

Contudo, um porta-voz do Channel 4 declarou ao The Independent que os vídeos eram "um importante arquivo histórico ao qual tivemos a sorte de ter acesso". A mesma fonte acrescentou que os excertos que o canal possui têm conteúdos que não foram divulgados pela NBC. "No momento em que todos irão refletir sobre a vida de Diana e o vigésimo aniversário da sua morte, sentimos que é importante ouvi-la diretamente e estamos a colocá-la na frente e no centro. Tudo o que será transmitido é cuidadosamente contextualizado, colocado dentro de um quadro histórico, apoiado por entrevistas com aqueles que estavam mais próximos dela", afirmou o porta-voz.

De acordo com a mesma fonte, as filmagens foram registadas durante os 16 meses em Settelen ajudou a princesa a superar a sua timidez e a melhorar o seu discurso em público.

As vinte fitas de vídeo foram feitas num momento anterior à secreta conversa entre Diana e o biógrafo Andrew Morton, que revelou os problemas da vida conjugal da princesa pela primeira vez. Em 1995, Diana declarou publicamente numa entrevista: "Havia três de nós neste casamento".

Muitas das imagens presentes nos vídeos mostram a princesa a fazer exercícios de voz mas, noutras ela fala abertamente sobre a sua vida íntima. A forma como enfrentou o adultério também faz parte do conteúdo, segundo a mesma fonte.

As gravações foram alvo de uma extensa disputa legal depois de alegadamente terem sido subtraídas por Paul Burrel, pagem da princesa, que mais tarde foi ilibado de todas as acusações.

Em julho de 2004, Diana e Settelen chegaram a um acordo sobre a propriedade das fitas, mais tarde vendido à NBC por um valor não revelado.

Os porta-vozes da casa real recusaram-se a tecer comentários sobre o assunto.