Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Vídeo de militares a executar mulher nua na berma da estrada choca Moçambique

Imagens mostram mulher indefesa a ser espancada e abatida a tiro por homens vestidos com uniformes militares.
Ricardo Ramos 16 de Setembro de 2020 às 01:30
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Vídeo de execução de mulher nua choca Moçambique
Um vídeo que mostra vários homens vestidos com uniformes militares a espancarem e abaterem à queima-roupa uma mulher nua e indefesa está a chocar Moçambique. As imagens foram alegadamente gravadas na província de Cabo Delgado, onde as forças governamentais têm sido acusadas de vários abusos dos direitos humanos no combate aos grupos armados islamistas.

O vídeo, que começou a circular nas redes sociais na segunda-feira, mostra um grupo de homens armados e fardados com uniformes militares a perseguir uma mulher nua junto a uma estrada. Um dos homens começa por espancar a mulher com um pau, antes de outros dois abrirem fogo, deixando a mulher morta à beira da estrada. "Já matámos a al-Shabab", afirma um dos intervenientes, usando o nome por que são conhecidos localmente os militantes islâmicos que há três anos têm levado a cabo ataques contra várias localidades em Cabo Delgado, no norte de Moçambique. 

O Ministério da Defesa condenou o "ato bárbaro" e garantiu que a autenticidade do vídeo está a ser analisada. "As Forças de Defesa e Segurança consideram as imagens chocantes, abusivas, repugnantes, horripilantes e, acima de tudo, condenáveis em todas as suas dimensões", afirmou o ministério em comunicado, acrescentando que as Forças de Defesa e Segurança "não pactuam com qualquer ato bárbaro que consubstancie a violação dos direitos humanos".
Moçambique Cabo Delgado Forças de Defesa e Segurança crime lei e justiça política direitos humanos
Ver comentários