Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Virologista chinesa que diz que a Covid-19 foi criada em laboratório afirma que a sua mãe foi detida na China

Li-Meng Yan fugiu para os Estados Unidos da América (EUA) em abril e diz ter provas de que o coronavírus foi feito num laboratório.
Correio da Manhã 6 de Outubro de 2020 às 15:50
Li-Meng Yan
Li-Meng Yan

Li-Meng Yan, a virologista chinesa que fugiu para os Estados Unidos da América (EUA) em abril e que diz ter provas de que o coronavírus foi feito num laboratório, revelou agora que as autoridades chinesas prenderam a sua mãe, em Pequim.

Este anúncio foi feito à publicação The Epoch Times, mas a ex-especialista da Escola de Saúde Pública de Hong Kong não revelou mais detalhes.

Recorde-se que Li-Meng Yan já tinha visto a sua conta de Twitter suspensa em meados de setembro por ter acusado a China de fabricar e libertar o novo coronavírus.

Em entrevista ao programa de Tucker Carlson na Fox News, Li-Meng Yan afirmou que "a conta terá sido suspensa porque eles não querem que as pessoas saibam a verdade", antes de revelar, uma vez mais, que tem provas de que o vírus da Covid-19 foi desenvolvido pelo Homem.

Yan acredita que o vírus não veio de um mercado em Wuhan, como é amplamente afirmado, mas sim de um instituto de virologia de Wuhan. Antes de fugir para os EUA, e já com algumas conclusões de que o coronavírus era proveniente de um laboratório, a virologista revelou que apagaram todas as informações que tinha recolhido e pediram às pessoas para espalharem boatos sobre si.

"[Disseram] que eu sou uma mentirosa, que não sei de nada, que acabei de matar um hamster no laboratório", disse Li sobre as mentiras que viu espalhadas sobre si, antes de garantir que irá publicar as suas conclusões para que o mundo saiba a origem do novo coronavírus. 

Covid-19 Li-Meng Yan Wuhan Coronavírus China
Ver comentários