Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Zimbabwe foi às urnas nas primeiras eleições sem Mugabe

Povo acorreu às mesas de voto em massa após mais de 30 anos de ditadura.
31 de Julho de 2018 às 01:30
Mugabe foi votar
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Mugabe foi votar
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Mugabe foi votar
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
Zimbabwe foi a votos
O Zimbabwe foi esta segunda-feira às urnas nas primeiras eleições desde a deposição, em novembro de 2017, de Robert Mugabe, o homem que durante mais de 30 anos dominou o país com punho de ferro. Com a contagem ainda em curso, o principal candidato da oposição, Nelson Chamisa, do Movimento para a Mudança Democrática (MDC), acusou a comissão eleitoral de manipular os resultados ao dificultar a votação nas grandes cidades, onde o MDC tem os centros de apoio.

As críticas fazem temer tensões e violência quando hoje forem anunciados os resultados parciais da primeira volta (a segunda, se nenhum candidato tiver maioria, terá lugar em setembro).

O presidente interino, Emmerson Mnangagwa, aliado de Mugabe durante décadas, mas que contribuiu para a deposição, nega fraude. "Posso assegurar que este país desfruta de um espaço democrático como nunca teve", afirmou.

A euforia com a nova liberdade levou milhares de pessoas a acorrer às urnas desde manhã cedo, formando longas filas.

Chamisa garante que se a voz do povo for ouvida será ele o vencedor: "A voz que falará mais alto é a da mudança".

Mugabe quebrou o silêncio a que se tinha votado para anunciar que votaria na oposição. Mnangagwa acusou-o, de imediato, de ter firmado um acordo com Chamisa.
Ver comentários