Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Zuckerberg admite erro do Facebook ao permitir apelo de milícia para protestos de Kenosha

Página da Kenosha Guard (Guarda de Kenosha) violou as políticas do Facebook e foi sinalizada por "muita gente".
Lusa 29 de Agosto de 2020 às 19:41
Mark Zuckerberg
Mark Zuckerberg FOTO: Reuters/Charles Platiau
O Facebook cometeu um erro ao permitir a página de uma milícia, no início desta semana, que apelou a civis armados para entrarem em Kenosha, no estado norte-americano de Wisconsin, durante protestos violentos, disse o CEO da empresa.

"Foi em grande parte um erro operacional. Os empreiteiros, os revisores, para quem as reclamações iniciais foram encaminhadas, basicamente, não perceberam isso", afirmou Mark Zuckerberg.

A página da Kenosha Guard (Guarda de Kenosha) violou as políticas do Facebook e foi sinalizada por "muita gente", afirmou Zuckerberg, num vídeo publicado naquela rede social.

Ver comentários