Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Alexandre Pais

Impostora e amadora

Retirado do mar, Diogo Infante parecia acabado de sair do closet.

Alexandre Pais 17 de Setembro de 2016 às 00:30
Uma boa promoção faz um artista. E no caso de ‘A Impostora’, a nova novela da TVI, faz também uma audiência.

Influenciado pelo marketing, eis-me esta semana a ver uma cena, a bordo de um barco, interpretada por Fernanda Serrano e Dalila Carmo, e a comentar para uns amigos brasileiros: "Fantástico, olhem como aprendemos com vocês!".
Falava do desempenho das atrizes, mas o destino reservava-me uma humilhação.

Engalfinhadas as respetivas personagens, rivais na história, eis que caem à água, como se o convés não estivesse protegido... Surge, então, o protagonista, representado por Diogo Infante – um ator de pouca qualidade histriónica e que veste sempre a própria pele –, que se atira ao mar para resgatar as vítimas.

As imagens mostram a seguir as duas mulheres, não a debater-se para salvar a vida mas a irem a pique para o fundo, agarradas uma à outra talvez para não se perderem…

E o incrivelmente mau pioraria ainda, com as náufragas já em seco, descalças e de cabelo escorrido, e o nadador-salvador impecável, de casaco, gravata e sapatos pretos, como se tivesse acabado de sair do closet.

Alguém anda com défice de ver cinema norte-americano. Uns filmes de série B bastariam para se aprender e evitar esta barraca.
A Impostora TVI Fernanda Serrano Dalila Carmo Diogo Infante artes cultura e entretenimento
Ver comentários