Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Alfredo Leite

A origem do problema

Catalunha é uma das regiões que albergam mais islamitas radicais.

Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 19 de Agosto de 2017 às 00:30
O atentado de Barcelona poderia ter acontecido em qualquer lugar do Ocidente que não se verga ao terror salafista. Só que ocorreu na capital catalã e isso não é obra do acaso.

A Catalunha é uma das regiões que albergam mais islamitas radicais, na sua maioria originários das regiões magrebinas espanholas de Ceuta e Melilla. É pois sem surpresa que grupos como o Daesh ou a al-Qaeda tenham tido aqui um alforge para recrutar radicais rumo às guerras na Síria e no Iraque. E não é por isso estranho que, com as derrotas dos extremistas naqueles países, alguns elementos radicalizados ensaiem o regresso à origem ou que os que já não possam ser recrutados apliquem simplesmente a jihad à porta de casa.

Isto explicará o facto de o atentado de Barcelona – apesar do método usado – não ser obra de um lobo solitário como os que a Europa tem sofrido. Tudo indica ter sido obra desesperada de uma célula jihadista com planos para um atentado ainda mais letal. E isto deve preocupar e muito as autoridades europeias. Porque sem um combate efetivo na origem deste cancro civilizacional será só uma questão de tempo até que um ataque de grande escala nos volte a abalar a todos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)