Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Alfredo Leite

Doces e vinho verde

No Marco, Zeferino exorta a doçaria e o vinho. Valentim paga comes e bebes.

Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 18 de Setembro de 2017 às 00:31
Em época de eleições já se sabe que populismo rima ainda mais com despesismo. E desenganem-se aqueles que acham que os profícuos investimentos nos meios para alcançar os fins são exclusivo dos candidatos às grandes autarquias. Per capita raramente são. Zeferino Vieira, por exemplo, quer ser o presidente da Junta do Marco.

Para convencer os conterrâneos investiu num vídeo que está a fazer furor nas redes. Não tanto pela qualidade do audiovisual, que é grande e rivaliza em imagens de drone e bailaricos com o das promoções de um hipermercado, mas sobretudo pela sinceridade da mensagem: "Nós somos marcoenses./ Gostamos de bons vinhos./ De pão de ló e anho./ E de muitos docinhos." Zeferino acredita que com doces e vinho verde, mais do que com ideias, vai conseguir "uma terra de sonhos".

Em Gondomar, o histórico da generosidade, Valentim Loureiro, está de volta, mas a crise deixou marcas na arte de bem comprar votos a troco de uns eletrodomésticos. O independente que quer voltar à presidência gondomarense limita-se a promover comícios com "entradas, comidas e bebidas tudo grátis".

Com tamanha oferta para os tempos que correm escancarada nas redes sociais do major há contrapropostas. Tomás Martins aproveitou a boleia da iniciativa em Rio Tinto e ofereceu no Facebook (sem referência a honorários) o seu grupo de bombos de Jovim. 

A candidatura não respondeu. Porque o slogan pode até ser "Coração de ouro", mas a carteira de Valentim parece ter conhecido tempos mais dourados.
Ver comentários