Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Alfredo Leite

O fim do pirómano

'Impeachment' a Trump seria justo. Ele não merece uma saída digna.

Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 8 de Janeiro de 2021 às 00:31
Há uma boa notícia na impensável invasão do Capitólio incentivada por um presidente em funções: O ataque matou a hipótese de Donald Trump se candidatar à presidência dos EUA daqui a quatro anos e comprometeu, provavelmente, outras ambições políticas do mais pirómano dos ocupantes da Casa Branca.

A má notícia é que o falhado golpe, à maneira latino-americana, abre um perigoso precedente. Porque se é óbvio que Trump tinha o direito a impugnar resultados eleitorais, perdeu toda a razão ao fazê-lo sem evidências. E mais ainda quando mandou a sua guarda pretoriana de apoiantes acéfalos invadir o coração da democracia norte-americana enquanto ele ficava covardemente de telecomando na mão a ver pela TV a ferida da divisão dos EUA a abrir-se perigosamente.

Qual então a razão de Trump ter ido buscar lã sabendo-se que havia uma forte hipótese de ser tosquiado? Ele sabe que o seu fim de ciclo pode abrir uma caixa de Pandora criminal e fiscal e quer perpetuá-lo. Talvez por isso, como noticiou o New York Times, Trump tenha avaliado junto de colaboradores aplicar a si próprio um inacreditável perdão, como fez com os amigos.

A concretização da ameaça de ‘impeachment’ feita ontem para apear Trump antes da chegada de Biden seria justa. Donald Trump não merece uma saída digna.
Capitólio Donald Trump EUA Casa Branca política crime lei e justiça eleições polícia governo (sistema)
Ver comentários