Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Mais de 13 mil nomes

A lista de óbitos provocadas pela peste já tem mais de 13 mil nomes.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 3 de Fevereiro de 2021 às 00:32
Há alguns sinais de esperança nos números mais recentes de contágios. O abrandamento dos últimos dias indicia que o pico da propagação já pode ter sido atingido.

Mas a lista de mortos vai continuar elevada por causa da onda avassaladora que se seguiu ao Natal. E se em 2020 muitos de nós só conheciam vítimas de Covid das notícias, agora a maior parte já sofre por um amigo ou conhecido que por causa do vírus importado da China já não estão entre nós. Pessoas como Simão Comenda, uma força da natureza, que quase com 80 anos mantinha grande vitalidade e um espírito tão jovem como no tempo em que pegava touros nas arenas.

Ou gente anónima, como a D. Celeste, de Ferreirós do Dão, que foi infetada no primeiro mês de residência num lar de idosos e ontem morreu. A lista de óbitos já tem mais de 13 mil nomes e ainda vai continuar a acumular nos próximos meses muita gente.

A melhor homenagem que podemos fazer a estas vítimas que a peste leva é exigir um País mais decente. Onde o Estado não tolere batotas nas vacinas e assegure assistência médica básica.
Covid País Estado autoridades locais política
Ver comentários