Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Armando Esteves Pereira

Estado negligente

As tragédias que mataram dezenas em Portugal têm um padrão comum.

Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 18 de Agosto de 2017 às 00:32
As tragédias que mataram dezenas em Portugal têm um padrão comum: o desleixo das entidades públicas que deviam ter previsto que algo poderia acontecer e nada fizeram para evitar acidentes.

Na ‘estrada da morte’, o Estado não fez cumprir a lei que impõe corredores limpos de vegetação na berma. Na Madeira nenhuma autoridade previu que uma árvore centenária podia cair. Desgraçadamente, na Senhora do Monte caiu quando havia mais gente.

Não foi azar ou castigo divino; foi homicídio por negligência das entidades que deveriam curar para evitar tragédias. Além da perda de vidas, estes desastres são sintomas de um Estado desleixado e negligente.
Portugal Estado Madeira Senhora Monte acidentes e desastres acidentes de transporte
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)