Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Baptista-Bastos

O crime impune

Barroso serviu de mordomo enquanto os senhores da guerra combinavam a carnificina.

Baptista-Bastos 14 de Julho de 2016 às 01:45
Tony Blair confessou, há dias, ter cometido o erro de patrocinar a invasão do Iraque. Blair é aquele "trabalhista" inglês que, apoiado nas teses de um sociólogo obscuro, Anthony Giddens, quis criar uma "terceira via" para o socialismo. A tese entusiasmou muita gente, entre a qual José Sócrates, grande animador de um estribilho, A Esquerda Moderna, na realidade uma fraude para enganar tolos.

Voltemos a Blair. Este cavalheiro, sob as ordens de W. Bush e acolitado por Aznar, reuniu-se nos Açores, numa cimeira de guerra, todos eles baseados na monstruosa mentira segundo a qual Saddam Hussein possuía armamento de destruição maciça. Apesar dos protestos de um membro, sueco, da comissão de investigação e análise, que desmentiu a atoarda, a sangrenta invasão do Iraque realizou-se. Com a humilhação e o sequente enforcamento de Saddam, filmados com requintes de soberba e de crueldade.

Lembremos que, na tal cimeira dos Açores, Durão Barroso serviu de mordomo obsequioso. Enquanto os senhores da guerra combinavam a carnificina, ele aguardou, numa esplanada, tomando um cafezinho, o final da reunião. O clamor que se ergueu em todo o mundo não demoveu Bush e os seus cúmplices, entre os quais faltava assinalar Donald Rumsfeld, o sinistro secretário de Estado americano.

Tony Blair é, como os outros, um criminoso de guerra. Deviam sentar-se no banco dos réus do Tribunal de Haia e prestar contas pela dimensão pavorosa dos seus actos. A contrição agora feita não passa de uma abjecta manifestação de ignomínia. Blair é um homem riquíssimo, fortuna obtida através de conferências cuja natureza se desconhece, mas que parece ser a justificação do injustificável.

A invasão do Iraque espoletou o vendaval que ainda hoje se vive naquela parte do mundo, o ressentimento de muitos povos e as retaliações subsequentes. O terrorismo é uma delas. Pode calar-se a indignidade de uma afronta desta extensão?
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)