Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Boss AC

Chamem a Polícia

Podem distribuir paulada a torto e a direito? Não!

Boss AC 24 de Maio de 2015 às 00:30

As imagens do que aconteceu em Guimarães, onde um homem de 43 anos e o seu pai foram agredidos pela polícia em frente aos filhos do primeiro, de 9 e 13 anos, incomodam. É de evitar o julgamento público sumário baseado apenas nas imagens mas a "culpa não pode morrer solteira". Tem que haver explicações e tem que haver responsabilização.

Supostamente, no final do jogo de futebol entre o Vitória de Guimarães e o Benfica, José Magalhães insultou e cuspiu no subcomissário Filipe Silva, o que levou a que o assunto fosse resolvido ao soco e à bastonada em directo na TV. Suponhamos que a cuspidela tenha mesmo existido. Isso justifica o excesso de força? De forma alguma!


Mesmo que tenha havido insultos, isso justifica a agressão gratuita e exagerada a um pai e a um avô em frente a duas crianças? Quantas do género acontecem sem registos?


Os polícias também têm famílias e muitas vezes trabalham em condições difíceis mas isso não pode ser desculpa para este tipo de comportamento excessivo. Estão sob um enorme stress? Sim. Estão expostos ao perigo? Sim. O jogo era de alto risco? Sim. Podem distribuir paulada a torto e a direito? Não! A farda que vestem traz consigo poder e o poder implica responsabilidades. Acontece que, às vezes, as pessoas não estão preparadas para assumir essa responsabilidade. Se a Polícia tem por missão proteger-nos, quem nos protege da polícia?


Com certeza que a maioria dos agentes são pessoas de bem. Um dos polícias protegeu o menino de 9 anos, em choque ao ver o pai e avô serem agredidos. Até pode ter sido um momento menos feliz do Sr. Silva mas o abuso de autoridade e a violência policial são uma realidade que tem que ser confrontada. Neste caso, tem sido. Questiono-me: se o agredido fosse um pobre emigrante a indignação pública seria a mesma? Mas isso é assunto para outra conversa.

Em várias cidades dos EUA e do Canadá, os agentes da polícia usam câmaras de gravação sempre que há interacção com os cidadãos e há estudos que apontam para uma diminuição dos casos de agressão. Coincidência? Ainda que o facto de haver gravações em vídeo não seja garantia de nada, parece-me que pode trazer segurança, tanto ao cidadão como ao agente.

Elimina-se o ‘diz que disse’. Pelo menos há-de fazer a pessoa pensar duas vezes antes de pisar o risco. Se o subcomissário Silva tivesse visto as câmaras, duvido que tivesse agido daquela forma. Pelo menos, haveria de se pentear e arranjar a farda para aparecer todo catita na TV.


Entretanto, a festa do título continuou no Marquês de Pombal em Lisboa. Com garrafadas e bastonadas mas é melhor não opinar, que não me apetece ser agredido...
Boss AC Violência policial Benfica Guimarães
Ver comentários