Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Moedas

O Planeta do Bloco

A extrema-esquerda de hoje perdeu o argumento intelectual e apostou no ódio como arma principal.

Carlos Moedas 27 de Setembro de 2019 às 00:30
Por razões familiares, fui por vezes tentando desculpar a extrema-esquerda, sobretudo por muitos dos seus membros terem sido vítimas do antigo regime. Não foram os únicos, obviamente. Mas pelo menos a extrema-esquerda do meu pai era intelectual e argumentava pelas ideias. A extrema-esquerda de hoje perdeu o argumento intelectual e apostou no ódio como arma principal.

No passado fim de semana, ouvi a líder do Bloco de Esquerda dizer: "Imaginem o que seria Passos Coelho reagir aos estudantes em luta pelo clima. Diria para não serem piegas. Para verem o aquecimento global como oportunidade e para tentarem sair do seu planeta de conforto."
Não queria acreditar no que ouvia, pois a frase é verdadeiramente ofensiva para quem como o antigo Primeiro-Ministro lutou tanto pelo país. Que aceitou ser Primeiro-Ministro no momento mais difícil da história contemporânea de Portugal, sabendo o preço pessoal e profissional que pagaria. E que acabou por pagar.

Esta afirmação de Catarina Martins é triste e mostra exatamente o caminho que a extrema esquerda está a seguir. O caminho do ódio para com aqueles que não pensam como eles. O desumanizar o adversário. Porque isso facilita a sua luta. Se os outros são os maus da história, então os membros do Bloco são os bons e nem precisam de argumentar.

Curiosamente, esta é a mesma técnica utilizada por Donald Trump na sua campanha quando chamou "mentirosa" e "ladra" a Hillary Clinton. Porque desumanizando Hillary Clinton já não precisaria de responder aos seus argumentos. Este tem sido o caminho populista do Bloco de Esquerda que tantos anos depois continua a tentar desumanizar a figura do antigo Primeiro-Ministro.

Por isso gostava de dizer a Catarina Martins que de Social-Democrata não tem nada. Porque a social-democracia é o primado da pessoa humana. Porque o Planeta da Social Democracia é centrado nos valores da liberdade e na dignidade da pessoa humana. E quem faz uma afirmação como esta não respeita a pessoa humana, porque acha que a sua ideologia é moralmente superior. Eu não quero viver no Planeta do Bloco.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)