Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

César Nogueira

História e futuro

Instituição é utilizada como trampolim para que uns progridam.

César Nogueira 7 de Maio de 2016 às 01:45
No dia 3 de maio a GNR fez 105 anos. No dia 30 de abril comemorou-se o 25º aniversário da APG/GNR. Foram homenageados os seus fundadores e enaltecido o seu trabalho associativo que, tal como hoje era difícil e implicava perseguições a quem lutava por melhores condições. Sendo certo que a GNR evoluiu com o passar dos anos, mais certo é que nos últimos 25 evoluiu muito mais, sobretudo a nível humano.

Mas ainda há muito a fazer. Veja-se o ruído que provoca a questão da GNR poder passar a ser autónoma das FA. A quem interessa este divisionismo dos oficiais da Guarda? A pergunta é retórica, pois a resposta é óbvia.

Basta conhecer a tomada de posição da Associação de Oficiais das FA sobre o horário de serviço na GNR. Com todo o respeito e consideração que tenho pela associação e pelo seu presidente, esclareça-se que a GNR não é propriedade das FA - é, isso sim, uma Força de Segurança que tem como missão primeira proteger pessoas e bens e que tem contribuído para que o país ainda seja seguro. Não é aceitável que esta nobre instituição possa ser utilizada como trampolim para que uns progridam e tenham notoriedade.

Pedimos que a Sra. Ministra demonstre a coragem que os antecessores não tiveram.
GNR APG Associação de Oficiais das Forças Armadas segurança
Ver comentários