Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernanda Cachão

A dona de casa explica

Parece que António Costa quer resolver o que a maioria dos patrões nunca conseguiu ou quis resolver - a disparidade salarial entre sexos, mais notória no setor privado maioritariamente constituído em Portugal por pequenas e médias empresas que na generalidade empregam, cada uma, mais ou menos meia dúzia de trabalhadores.

Fernanda Cachão 18 de Abril de 2017 às 00:30
Parece que António Costa quer resolver o que a maioria dos patrões nunca conseguiu ou quis resolver - a disparidade salarial entre sexos, mais notória no setor privado maioritariamente constituído em Portugal por pequenas e médias empresas que na generalidade empregam, cada uma, mais ou menos meia dúzia de trabalhadores.

Segundo foi noticiado, a coisa passará por penalizações às empresas, ao condicionar o acesso a contratos com o Estado, a adjudicação de obras públicas, o acesso a estágios profissionais ou mesmo a concursos a fundos estruturais europeus. Desconfiamos que a maioria do tecido empresarial que emprega mulheres injustamente pagas recorra tanto a este tipo de apoios que, sob a eventualidade de perdê-los, fique à rasca para reparar a diferença salarial.

De fora fica o sítio onde mais dói, por não estarem previstas multas às entidades empregadoras. Desconfiamos pois que das intenções de Costa alguma coisa provenha às injustiçadas.

Para usar o estereótipo doméstico, qualquer dona de casa sabe que os políticos adoram pegar em paninhos para fingir que vão limpar o pó.n
fernanda cachão opinião
Ver comentários