Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernanda Cachão

Fundamental não é a roupa

Najat Vallaud-Belkacem que era contra o uso do burkini nas praias.

Fernanda Cachão 30 de Agosto de 2016 às 00:30
Najat Vallaud-Belkacem, ministra da Educação Nacional francesa, nascida em Marrocos, neta de argelino, muçulmana não praticante, assumiu agora, e contrariando os juízes do constitucional, que era contra o uso do burkini nas praias.

Disse ela que sonhava com uma sociedade livre em que as mulheres possam ser donas do seu corpo. Muito bem. E, no entanto, a emancipação feminina não deve ser argumento contemporâneo para a proibição de uma farpela, ou o seu contrário.

A burqa e o niqab são símbolos terríveis do fundamentalismo que devem ser interpretados pela letra da lei - como foram em França - por serem atentados à segurança dos estados. Já o burkini é aquilo que é. Tapa mas não oculta.

Polícias multarem e mandarem despir uma mulher por não estar a usar a tanga que respeite os bons costumes e o secularismo é, pelo menos, caricato.

Foi Najat Vallaud-Belkacem, então ministra dos Direitos da Mulher, a abolir a lei que proibia, e desde a Revolução Francesa, o uso de calças pelas francesas. Foi em 2013, e elas já usavam calças há muito.

Por isso, não é a roupa, ou a sua proibição, o mais fundamental.
Fernanda Cachão opinião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)