Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernanda Cachão

Um outro grande amigo

Se fosse vivo, Péricles Andrade Maranhão, teria aqui oportunidade para se inspirar na criação de um grande antónimo.

Fernanda Cachão 19 de Janeiro de 2017 às 01:45
Afinal, poder-se-á dizer que o melhor amigo seria ainda outro. O banqueiro Ricardo Salgado foi ontem constituído arguido no âmbito da Operação Marquês, a que tem como principal arguido o ex-primeiro-ministro José Sócrates.

O antigo líder do Banco Espírito Santo ficou ontem, outra vez, sem poder sair do País, e sem poder entrar em contacto com os restantes 19 arguidos do referido caso, nomeadamente José Sócrates, um ex-ministro socialista, vários empresários e seus familiares, além do melhor amigo do primeiro, o dos tempos da Covilhã, nos anos 80, Carlos Santos Silva.

Ricardo Salgado foi indiciado por factos passíveis de integrarem os crimes de corrupção, abuso de confiança, tráfico de influência, branqueamento e fraude fiscal qualificada, segundo a Procuradoria-Geral da República; mais umas voltas na maratona judicial em que está envolvido aquele de quem já disseram ser o ‘Dono Disto Tudo’ por ter o melhor ‘saco azul’ do País - o que daria para todos.

Se fosse vivo, Péricles Andrade Maranhão, o autor da BD ‘Amigo da Onça’, teria aqui oportunidade para se inspirar na criação de um grande antónimo.
Ver comentários