Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Calado Rodrigues

Apoio ao Papa

Seria bom que surgissem grupos de personalidades relevantes no apoio às ideias do Papa Francisco.

Fernando Calado Rodrigues 27 de Fevereiro de 2015 às 00:30

Três cardeais criaram um grupo de apoio ao Papa a que deram o nome de "Cenáculo do Papa Francisco". Na intimidade do Cenáculo, Jesus tomou a última ceia com os seus apóstolos para, depois, enfrentar a sua paixão e morte na cruz. Deixou-lhes as suas últimas recomendações e a promessa de estar sempre com eles.

Walter Kasper, Francesco Coccopalmerio e Gualtiero Bassetti, cardeais próximos do Papa, agregaram a si outros clérigos e leigos, homens e mulheres, teólogos e jornalistas, e organizam-se para difundir as ideias do Papa cerrando fileiras contra os "lobos" que continuam a acossar o líder da Igreja Católica – relata o sítio de informação religiosa ‘Religión Digital’, que classifica esta iniciativa como um "clube de defensores das reformas de Bergoglio".

Juntaram-se para, em primeiro lugar, "defender o papado e o atual bispo de Roma"; e, em segundo, "difundir o seu pensamento, as suas ideias sobre a Igreja, a sua teologia do povo e para o povo, a sua sensibilidade evangélica e a sua proximidade a todo o tipo de pessoas, sejam quais forem as suas ideias e crenças", declarou a esse sítio o teólogo José María Castillo, membro fundador desse clube. Para este sacerdote jesuíta, é mais relevante "defender a vida das pessoas, a dignidade dos seres humanos, os direitos de todos", do que "defender ‘dogmas’ e a ‘ortodoxia’ doutrinal", ainda que isso seja importante. Esse posicionamento está alinhado com o Papa, que está "profundamente convencido de que só mediante o Evangelho, feito vida em nós, a Igreja tem sentido e pode cumprir a sua missão no mundo".

Seria bom que, nas dioceses espalhadas pelo mundo, se replicasse essa ideia e surgissem grupos que congregassem personalidades relevantes em torno das ideias do Papa Francisco. E que fizessem a sua inculturação no contexto local em que professam a sua fé.

Esse grupo poderia – se constituído por peritos de diferentes setores da sociedade – refletir sobre a atualidade. E, à luz do Evangelho, da Doutrina Social da Igreja e das palavras do Papa, assessorar o bispo de cada Diocese nas suas tomadas de posição públicas. O resultado seria que estas teriam uma fundamentação maior do que a habitual e, em consequência disso, um impacto mais relevante nos órgãos de comunicação social e na formação da opinião pública.  

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)