Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
8
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Calado Rodrigues

Papa e refugiados

Papa exigiu projetos que integrem os refugiados e desenvolvam os seus países de origem.

Fernando Calado Rodrigues 15 de Janeiro de 2016 às 01:37
A Santa Sé mantém relações diplomáticas com cento e oitenta estados soberanos, dos cerca de duzentos que existem no mundo, de acordo com a página oficial do Vaticano. Mas, mais importante do que o número, é a qualidade do serviço diplomático que a Igreja desenvolve pelo mundo. Ainda recentemente se viu o resultado desse trabalho no reatar das relações entre os Estados Unidos e Cuba.

No início desta semana, o Papa Francisco, no seu discurso anual aos embaixadores, garantiu que "a Santa Sé não deixará jamais de trabalhar para que a voz da paz possa ser ouvida até aos últimos confins da Terra". Aproveitou a oportunidade para denunciar, uma vez mais, o problema dos que se veem obrigados a abandonar a sua terra pelos mais diversos motivos, entre os quais destacou a perseguição religiosa.

Recordou que "toda a Bíblia nos conta a história duma humanidade a caminho" e que até Jesus, segundo o Evangelho, foi um refugiado no Egito. Para o Papa, na génese da crise humanitária que se vive na Europa, está o individualismo e "a arrogância dos poderosos que instrumentalizam os fracos, reduzindo-os a objetos para fins egoístas ou por cálculos estratégicos e políticos".

Para resolver esta crise, é necessário pôr em causa "hábitos e práticas consolidadas, a começar pelas problemáticas relacionadas com o comércio dos armamentos, até ao problema da conservação de matérias-primas e energia, aos investimentos, às políticas de financiamento e apoio ao desenvolvimento, até à grave chaga da corrupção".

E, para ele, é necessário também implementar "projetos de médio e longo prazo que ultrapassem a resposta de emergência", que promovam a integração dos refugiados e, ainda mais importante, "o desenvolvimento dos países de origem com políticas solidárias" para estancar os fluxos migratórios. Nada disto será fácil de conseguir. Mesmo com o auxílio da diplomacia da Santa Sé...
Santa Sé Igreja Estados Unidos Francisco Jesus Europa Santa Sé
Ver comentários