Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Ilharco

As vantagens de estar triste

Os choros que tendem a melhorar mais a disposição são os mais intensos, mas não muito prolongados.

Fernando Ilharco 21 de Maio de 2017 às 00:30

Estar mais para lá do que para cá, estar em baixo, triste ou frustrado pode acontecer a todos. Mas não sendo uma situação simpática, ficou a saber-se que tem as suas vantagens. Chorar, por exemplo, não é muito agradável. Mas quando paramos de chorar, geralmente sentimo-nos melhor. Lamentar, chorar ou, como costuma dizer-se, deitar cá para fora tem as suas vantagens.

Uma investigação publicada no ‘Journal of Research in Personality’ concluiu que depois de chorar, de exteriorizar as emoções, a maioria das pessoas fica mais ou menos na mesma, mas que um terço das pessoas que choram muda a sua disposição para melhor; ficam mais bem-dispostas, mais confiantes e menos tristes. Os choros que tendem a melhorar mais a disposição são os mais intensos, mas não muito prolongados. E chorar acompanhado também ajuda a melhorar a disposição. O conselho habitual ‘não é caso para chorares’ pode não ser o melhor. Por um lado, chorar pode não alterar a nossa disposição. Por outro lado, às vezes as pessoas querem chorar, estão quase a chorar, mas não conseguem; e sentem que se chorassem a sua disposição melhoraria.

Um outro estudo sobre má disposição no dia-a-dia profissional, publicado no ‘Journal of Applied Psychology’, chama a atenção para os benefícios da mudança de disposição. Ou seja, há vantagens em não estar sempre com a mesma disposição; mesmo que seja bem-disposto. A investigação mostra que os profissionais mais produtivos durante a tarde são os que mudaram de disposição; que estiveram maldispostos de manhã. São mais produtivos do que aqueles que estão bem-dispostos o dia todo.

Quem muda a meio do dia de uma disposição negativa para uma positiva é quem é mais produtivo durante a tarde. A explicação pode estar no facto de se ter passado por experiências negativas durante a manhã – erros, conflitos, etc. –, o que nos leva à tarde a sentirmo-nos menos dispersos e a envolvermo-nos menos em actividades de relacionamento social e a focarmo-nos no trabalho. Um outro estudo, no ‘Journal of Experimental Social Psychology’, defende que estar ligeiramente maldisposto torna as pessoas menos susceptíveis de ser enganadas. Um pouco tristes, as pessoas tendem a ser mais perspicazes e focadas. Raciocinam mais analiticamente e enganam-se menos.

Por fim, de referir um estudo de 2013 que defende que em geral as pessoas que consideram a sua vida mais significativa tendem a ser as mesmas pessoas que mais indicam ter passado por stress, ansiedade e preocupações.

Emoções Choro Stress Produtividade Tristeza
Ver comentários