Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Ilharco

Diga Obrigado e viva melhor

Às vezes o melhor é ficar calado, mas outras vezes, se mudar o que vai dizer, dizendo essencialmente o mesmo, consegue melhores resultados.

Fernando Ilharco 5 de Março de 2017 às 00:30

Por vezes, deve mesmo; deve aprender sempre, deve ter projectos ambiciosos, deve melhorar. Mas atenção aos excessos. Trabalhar sessenta horas por semana não é bom para ninguém. E a pressão para o fazer tantas vezes está em nós próprios; devo concluir isto hoje, devo ir almoçar com o Manuel, devo fazer aqueles telefonemas, devo ir ao ginásio, devo estar em casa cedo, devo ir com a mulher ou com o marido ao teatro ou dar um passeio.

É muita pressão, o stress domina o dia e você, que até gosta do que faz, não está a apreciar.   É   uma   correia.   Faça   isto   então: substitua o devo pelo gostava. Não está obrigado a fazer nada do que diz que deve – gostava de o fazer. Gostava, soa diferente, é positivo e cria uma pressão motivadora. Gostava de concluir hoje o projecto, gostava de um dia destes ir almoçar com o Manuel e fazer aqueles telefonemas. Ao fim da tarde, gostava de ir ao ginásio, e depois gostava mesmo de estar em casa cedo; vamos ver como vai correr. À noite, hoje ou amanhã, gostava de ir ao cinema ou ao teatro. Uau, tantas coisas de que gosta. Se calhar não vai conseguir fazê-las todas. Mas três ou quatro delas já preenchem o dia de bom ambiente e satisfação. A pressão do devo desaparece. Objectivamente, o dia pode correr igual mas vai ser um dia diferente, positivo em vez de stressante. Obrigar-se é um mundo, gostar é outro. E pode ainda fazer mais para ter um dia motivador. Pode substituir as desculpas por obrigado. Por exemplo, se chegar atrasado a um encontro em vez de ‘desculpa o atraso’ diga ‘obrigado por teres esperado’.

À primeira vista, as palavras descrevem o mundo. Mas a ciência e a filosofia têm mostrado que a linguagem não é transparente, que   as   palavras   não   reflectem   mas   que criam o mundo. É um pouco teórico, mas como dizia Einstein, nada tão prático como uma boa teoria. Por exemplo, se está a explicar um projecto e as coisas não estão a sair bem, em vez de ‘desculpem, isto está confuso…’ diga ‘obrigado pela vossa paciência… vou clarificar’; em vez de ‘desculpem por vos tirar tempo…’ diga ‘obrigado por me ouvirem’; em vez de ‘desculpem não   ir   mais   longe’   diga   ‘obrigado   pelo apoio, é muito importante’.

Concluindo, não diga devo nem desculpa. Diga gostava e obrigado. E o dia vai ser mais positivo e motivador.

O segredo de viver Fernando Ilharco
Ver comentários