Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Fernando Jorge

Frigoríficos

Lá terão os funcionários de trabalhar embrulhados.

Fernando Jorge 6 de Dezembro de 2016 às 00:30
Depois do verão e a poucos dias de terminar o outono e entrarmos no inverno, as condições climatéricas nos diversos tribunais voltam a ser uma preocupação.

Neste verão, particularmente quente e prolongado, funcionários e magistrados tiveram de trabalhar – sim, porque os tribunais funcionaram sempre – com temperaturas nos 40 graus. Autênticas estufas! E isto porque os aparelhos de ar condicionado estão, em muitos tribunais, avariados e sem manutenção. E há ainda muitos onde nem existem! Como, por exemplo, o ‘imponente’ Palácio da Justiça de Lisboa, que não tem janelas e as temperaturas chegam a 45 graus!

Acresce que as inovações introduzidas com a nova reforma judiciária, na área da gestão dos tribunais, têm a confortável ‘vantagem’ de ninguém ser responsável pela manutenção dos equipamentos! Será dos Conselhos de Gestão? Será da Direção-Geral da Administração da Justiça? Será do Instituto de Gestão Financeira e Equipamentos da Justiça? Ou não é de ninguém?! Convém esclarecer e intervir rapidamente para que, depois dos ‘fornos’ no verão, os tribunais não sejam ‘frigoríficos’ no inverno. Lá terão os funcionários de voltar a trabalhar ‘embrulhados’ em mantas e cobertores.

São as condições da nossa Justiça, para quem nela trabalha.
Palácio da Justiça de Lisboa Conselhos de Gestão Administração da Justiça
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)