Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Francisco J. Gonçalves

A guerra de Marrocos

O conflito silencioso continua a fazer vítimas sob a forma de milhares de refugiados impossibilitados de voltar a casa.

Francisco J. Gonçalves 8 de Abril de 2015 às 00:30
Uma das mais longas guerras de sempre é a que opõe israelitas e palestinianos. Desse conflito todos os dias são escritas novas páginas de sangue relatadas pela Imprensa mundial. Mas outro conflito dura há décadas com bem menos atenção do Mundo: aquele que opõe Marrocos e o movimento de libertação saarauí, representado pela Frente Polisário.

Em teoria, a guerra durou entre 1975 e 1991, mas a paz não encerrou a luta pela libertação do Saara Ocidental.

O conflito silencioso continua a fazer vítimas sob a forma de milhares de refugiados impossibilitados de voltar a casa. A maioria deles está em campos no Tindouf, Argélia, para onde escaparam às bombas marroquinas nos anos 70.

A sua miséria é hoje agravada por um inimigo imprevisto. De acordo com uma investigação da UE, milhares de euros de ajuda financeira foram desviados para contas de líderes da Frente Polisário e toneladas de alimentos destinados aos refugiados não chegam ao destino, sendo vendidos em mercados no Mali e na Mauritânia.

E a este escândalo junta-se outro: o de uma investigação terminada em 2007 ter sido ignorada até final de 2014.
guerra Marrocos Saara Ocidental Argélia UE Frente Polisário Mali política
Ver comentários