Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Francisco José Viegas

Blog

Em 1973 um jovem professor de literatura na cidade de Drake, estado do Dakota do Norte, decidiu usar o romance ‘Matadouro Cinco’ (Bertrand), de Kurt Vonnegut, como material de leitura de uma das suas aulas.

Francisco José Viegas 25 de Setembro de 2014 às 00:30

Resultado? Os 32 exemplares do livro de Vonnegut foram retirados das mesas dos alunos e foram queimados na fornalha do aquecimento central da escola, pelo diretor e pelo chefe da polícia.

O caso deu que falar: houve protestos, mas houve também seguidores. A data assinala-se esta semana (a Banned Books Week) nos EUA, país onde livros de Hemingway, Faulkner, Steinbeck, Mark Twain, J.D. Salinger ou J.K. Rowling foram (e estão) proibidos em escolas e bibliotecas públicas.

Queimar livros parece-nos um escândalo. E é. Mas ainda se pratica muito hoje em dia.

O fervor religioso, político e "moral" dos censores e das autoridades em geral é um combustível perigoso para toda a espécie de insanidades.

-----------------

Citação do dia

"Todo o esforço modernizador foi concentrado no aumento da capacidade de cobrar impostos"

Eduardo Cabrita, ontem, no CM

-----------------

Sugestão do dia

Reportagem extraordinária em livro: ‘A Máquina do Poder’ (Esfera dos Livros), em que Miguel Pinheiro e Gonçalo Bordalo Pinheiro acompanham a campanha das europeias (PS, PSD-CDS) por dentro, visitando todos os bastidores.

Drake Dakota do Norte Kurt Vonnegut Matadouro Cinco EUA
Ver comentários