Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Pereira Coutinho

Varões assinalados

Dançar no varão não é problema; divulgar talvez seja.

João Pereira Coutinho 22 de Maio de 2016 às 00:30
Causou um certo estremecimento o episódio das funcionárias do DIAP que fizeram uma dança no varão para animar os colegas.

Verdade que danças no varão têm sempre esse propósito – causar estremecimento – mas no caso em apreço a pergunta é outra: serão admissíveis estes exercícios? Sinto-me dividido. Por um lado, e tendo em conta o absurdo nível de litigância em Portugal, é impossível não simpatizar com estas donzelas, que vivem soterradas em processos entediantes quando o corpo pede outras excitações. Mas depois sou informado que o vídeo foi posto a circular por uma das chefes (e dançarinas) e aí o meu coração arrefece. Não pela dança em si, entenda-se; mas pela clamorosa falta de inteligência – um défice preocupante quando a investigação judicial exige alguma massa cinzenta.

Resta-nos a consolação de saber que, caso rolem cabeças, será sempre possível ponderar outras carreiras.
João Pereira Coutinho opinião
Ver comentários