Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Diogo Quintela

The extrema-esquerda whisperer

O que Milan faz com canídeos no ‘Encantador de Cães’, Costa faz com esquerdistas radicais.

José Diogo Quintela 27 de Maio de 2017 às 00:30
Se Centeno é o Ronaldo do Ecofin, é justo reconhecer que António Costa é o Cesar Milan da política portuguesa. O que Cesar Milan faz com canídeos no seu programa ‘O Encantador de Cães’, António Costa faz com esquerdistas radicais no seu programa de Governo.

Milan pega em cães agressivos e antissociais e transforma-os em cachorros muito fofinhos. Desde que se tornou PM, é isso que António Costa tem feito com o PCP e com o Bloco de Esquerda. Os dois partidos sentavam-se nos sofás e rosnavam aos donos; atacavam carteiros; roíam chinelos; faziam xixi na sala; ladravam a noite toda; pedinchavam comida à mesa. E isso era só no Parlamento. Aos poucos, António Costa domesticou-os. Enfeitiçou-os com a sua voz melíflua e sílabas mal enunciadas. Aplicou aquele golpe em tenaz, no gasganete. Pô-los a confraternizar com a sua matilha normalizada de Pedro Nuno Santos, Carlos César ou Tiago Ribeiro, e, através da socialização (os clássicos farejo recíproco de rabos e cópula simulada), o BE e o PCP foram aprendendo as regras da convivência. Hoje em dia andam sem trela e mal se distinguem do PS. Basta ver que até um mastim belicoso como Louçã já brinca solto no Banco de Portugal. Depois da vacina da raiva, claro.

Tornou-se habitual ver um comunista briguento a deitar-se com as patinhas para cima e a mostrar a barriga, em sinal de aceitação da tolerância de ponto na visita do Papa. E, extraordinário, Costa treinou Catarina Martins a fingir de morta durante a polémica da Caixa Geral de Depósitos. Ao princípio, em troca de um biscoito. Agora, já nem isso é preciso. Costa diz "fica, Bloco!", aprovam-se os salários milionários da administração da CGD e depois basta um "quem é um menino lindo, Bloco? Quem é? Quem é?" E é vê-los a abanar a cauda, todos contentes. O Bloco sabe que é um menino lindo.

António Costa é o líder da matilha. Marcou vários territórios com a sua urina de forte aroma a reversões e reposições e agora o BE e o PCP sabem que é que manda. O mais incrível é que, apesar de ter amansado as feras, Costa não precisou de castrá-las. Aliás, a agressividade ainda lá está. Vê-se quando rosnam à direita, ou quando latem com galhardia em defesa da Venezuela e da Coreia do Norte. Mas é show off canino, perfeitamente contido por Costa.

Porém, será mesmo assim? Terá Costa domado completamente a extrema-esquerda? Não sabemos. O que sabemos é que Cesar Milan nunca enfrentou autárquicas. E, a chegar às eleições, começaram as dúvidas sobre o próximo Orçamento de Estado, os ameaços de manifestações de professores, as greves de médicos. Costa foi optimista? O BE e o PCP poderão andar sem açaimes? Não deveriam ter sido castrados? Questões a ser respondidas na próxima temporada de ‘The extrema-esquerda whisperer’.

O meu alegre alojamento local
Sonho em viver num prédio de aluguer a turistas. Sim, deixam os sacos do lixo fora dos caixotes, fazem barulho no hall, não fecham bem a porta do elevador, obrigando a subir as escadas, dão jantares onde se ri e ouve música, têm inundações e outras chatices. Sucede que os meus vizinhos também fazem isso e ainda fritam peixe.

A bem da relação cordial que se deve manter com vizinhos, não se pode chamar a polícia sempre que há chatice. Corremos o risco de iniciar uma guerra civil. Com estrangeiros desconhecidos, não tenho qualquer prurido. Ó da guarda! com eles.

Medita Medina em modo de mediatizar mudança de Madonna
A visita de Fernando Medina à cançonetista Madonna exigiu grande coragem ao autarca. Se Madonna, feroz feminista, soubesse que Medina vai concorrer, não contra uma, mas contra duas mulheres, atacava-o por tanta heteronormatividade patriarcal. Nada de medo da mediática Madonna, Medina! Madonna leva a sério a eleição de mulheres. Até prometeu sexo oral a homens que votassem em Clinton. Uma atitude surpreendentemente machista, por deixar de fora as senhoras que apreciariam a recompensa. Se calhar, foi por isso que Trump ganhou.

Vomitorium
Reza a lenda que, na Roma Antiga, os convivas de um banquete empanturravam-se até se sentirem mal e vomitarem, para depois voltarem a emborcar.

Sempre achei que fosse um mito, isto de haver quem exagere, purgue e volte ao exagero que o fez sentir-se mal. Afinal, não. Acontece mesmo. É ver a reacção do Bloco de Esquerda e do PCP à notícia da saída do Procedimento por Défice Excessivo, exigindo que se comece a gastar outra vez à bruta.

Ou seja, primeiro, Portugal encheu o bandulho de dívida. Depois, a Europa meteu-nos os dedos à boca e bolçámos. Agora, de estômago vazio, mas ainda a saber a azedo e com bocados de comida pendurados no nariz, os glutões querem que o país volte a empanzinar-se alarvemente. Os comunistas são bulímicos da dívida.

Ver comentários