Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Diogo Quintela

Veio o Zeca Diabo

A tragédia do homem comum é a oportunidade para dar uso a uma infraestrutura pública.

José Diogo Quintela 6 de Julho de 2017 às 00:31
Na telenovela ‘O Bem Amado’, Odorico Paraguaçu, Perfeito de Sucupira, promete construir um cemitério. Depois de reeleito, não morre mais ninguém e Odorico é impedido de inaugurar a sua grande obra. Irritado, contrata o matador Zeca Diabo, para produzir um finado.

Quando se pergunta onde é que o Governo gastou dinheiro em vez de ter o SIRESP em condições, uma das respostas é a manchete de ontem do ‘Público’: ‘Tribunais reabertos nem dois julgamentos por mês fizeram’.

A tragédia do homem comum é a oportunidade para dar uso a uma infraestrutura pública: as centenas de processos que as vítimas de Pedrógão vão colocar ao Estado podem ser julgados nestes tribunais bissextos. Viva!
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)