Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Manuel Silva

Tribunal de Contas

Na Saúde, as suas auditorias têm inexplicáveis lacunas.

José Manuel Silva 28 de Julho de 2016 às 01:45
O Tribunal de Contas auditou os Cuidados de Saúde Primários e as Unidades de Saúde Familiares (USF). Sempre elogiei o Tribunal de Contas (TC) e as suas importantes auditorias, mas já percebi que, na Saúde, apresentam inexplicáveis lacunas.

Por exemplo, para além do que já se conhecia sobre o passado, como pode o TC manifestar preocupação pela alegada reforma de 1761 Médicos de Família (MF) nos próximos seis anos, sem indagar quantos MF se formarão no mesmo período de tempo?

Pois bem, serão mais de 2500! Logo, não há razões para apreensão... E a partir de 2025 reformar-se-ão menos de 100 MF por ano e continuarão a formar-se mais de 450 por ano!

Diz ainda o TC que, nas USF, um utente esperava 59 dias, em média, por uma consulta. Como é isto possível se as USF, para o serem, estão obrigadas a dar resposta no próprio dia a todas as situações agudas e a marcar consulta a pedido do utente em cinco dias úteis? Na verdade, o TC confunde a boa prática da marcação de consultas programadas com ‘tempos de espera’.

Os auditores do TC não são obrigados a saber tudo. Porém, para preservar a sua ‘infalibilidade’, o TC deveria ouvir todos os contrainteressados antes de extrair conclusões...
Tribunal de Contas Cuidados de Saúde Primários Unidades de Saúde Familiares Médicos de Família saúde
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)