Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

José Rodrigues

Pau para toda a colher

A ideia de reduzir a Taxa Social Única (TSU) das empresas é perigosa, pois poderá abrir um buraco colossal na Segurança Social.

José Rodrigues 25 de Maio de 2015 às 00:30

É fatal: ainda está por nascer o Governo que não mexa, de uma maneira ou de outra, na Segurança Social, introduzindo-lhe alterações sucessivas, em nome do argumento da sustentabilidade, e até recorrendo imprudentemente aos seus fundos. Para não fugir à ‘tradição’, o PS propõe-se fazer o mesmo se for Governo.

Já a ideia de reduzir a Taxa Social Única (TSU) das empresas é perigosa, pois poderá abrir um buraco colossal na Segurança Social (isto para lá de ser de eficácia duvidosa), mas também tem que se lhe diga a ideia dos socialistas de financiar a compra de habitação para arrendar a famílias em risco de insolvência recorrendo ao Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS). A intenção poderá ser boa, mas a proposta parece, decididamente, pouco avisada.

Sim, o fundo tem servido para financiar dívida pública, aplicar em fundos de investimento, jogar na Bolsa e outras operações arriscadas (como a perda de 100 milhões de euros investidos na PT), mas convém não esquecer que é património dos contribuintes, e a última garantia em caso de rutura do sistema. Não deve e não pode ser pau para toda a colher.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)